Sábado, 20 de Janeiro de 2007

Schritttempo

Nos países mais desenvolvidos da Europa a velocidade do trânsito está limitada a 30km/h na maioria das ruas das zonas residênciais. Apenas nas ruas principais os 50 são permitidos. Tornam-se os bairros mais calmos - por se afastar o trânsito - e mais seguros para os peões, especialmente as crianças - por se reduzir a velocidade. A Alemanha, que provavelmente nem estará só, vai mais longe e obriga os carros a circular em "Schritttempo" em algumas zonas. Schritttempo significa literalmente "ritmo de passo", ou seja à velocidade dos peões.

Não tenho a certeza, mas julgo ter ouvido recentemente que Portugal era o único país da União Europeia a 15 onde não havia zonas com o limite dos 30km/h. Aliás em Portugal ainda se fica espantado por a Câmara de Lisboa colocar radares para controlar a velocidade acima dos 50km/h, havendo muitos que lhe chamam uma "caça à multa". Radares estes que no espaço de um mês apanharam mais de 71 mil automóveis em excesso de velocidade, alguns acima de 200km/h. Haverá melhor prova que em Portugal, comparando com o resto da Europa, o carro é rei e senhor?


Este post vem a propósito de uma boa notícia publicada no DN, sob o título "Experiência alemã avança em pracetas da Amadora". A Câmara da Amadora vai limitar a velocidade a 30km/h em algumas pracetas por razões de segurança e tranquilidade. Não se trata de schritttempo, nem se alarga a bairros inteiros, mas é uma excelente novidade para Portugal. Fica apenas a dúvida: a experiência alemã a que a notícia se refere passou-se nos anos 70 ou foi uma experiência de aumento do trânsito?
publicado por MC às 20:00
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Escola Yoga - Amadora a 19 de Novembro de 2007 às 12:49
Bem....

Automóveis a mais de 200Km/hora é demais.

Não concordo com a caça à multa mas aceito os limites de velocidade e em certos casos até poderia ser mais flexível como na Alemanha em que ninguém excede os limites de velocidade mas nas auto-estradas anda-se à vontade e têm muito menos acidentes que em Portugal.
Será da Consciência humana?

Abraços

Comentar post

subscrever feeds

autores

pesquisar

posts recentes

Na primeira metade de 201...

CML acha que é sua função...

As portagens não chegam a...

Agora é Pontevedra a most...

Portugueses, o segundo po...

Será Lisboa a cidade mais...

EMEL manda os automobilis...

Fernando Medina, olhe par...

Super-quarteirões em Barc...

A revolução anti-automóve...

tags

lisboa

ditadura do automóvel

ambiente

bicicleta

cidades

portugal

peões

estacionamento

sinistralidade

carro-dependência

transportes públicos

bicicultura

economia

espaço público

comboio

auto-estradas

automóvel

trânsito

energia

portagens

todas as tags

links

arquivos

Maio 2019

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Outubro 2017

Setembro 2017

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006