Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Protestar com elegância

TMC, 14.10.10

 

Vandalismo "reserva" parque para deficientes

O parque de Estacionamento situado na Rua do Arsenal, na baixa de lisboa, transformou-se hoje, quinta-feira, num espaço excluviso para uso de deficientes. Não porque a Câmara ou a EMEL o tenham determinado, mas porque alguém, por brincadeira assim o quis.

O caso insólito foi notado cerca das 7 horas, quando a operadora di parque em causa se preparava para entrar ao serviço. Admirada com tal transformação, e certamente sem saber se teriam sido criadas novas regras durante a noite, contactou a EMEL, que apresentou queixa às autoridades e mandou remover as pinturas.
 
Para a EMEL, tudo aponta para que as pinturas sejam fruto de um acto de vandalismo, uma situação a que a empresa já se habituou, sobretudo no que se refere aos parquímetros. Esta situação, contudo, difere de todas as outras, que mais não seja pela criatividade.
 
"Falámos com as diferentes autoridades, nomeadamente com a Câmara Municipal de Lisboa e temos a confirmação que não tinham conhecimento desta iniciativa, o que já imaginávamos atendendo às boas relações que temos e à estreita articulação que sempre existiu com a EMEL em relação à pintura de lugares e a todas as suas decisões em relação à área do estacionamento", adiantou uma fonte da empresa que tutela o estacionamento na cidade.

 


É vandalismo? Ou uma forma inteligente de captar a atenção das autoridadades para o modo bárbaro como pessoas com dificuldades físicas são impedidas de circular pelos carros mal-estacionados nos passeios? Ou quererão os autores do protesto simular aos condutores a sensação de não terem espaço nenhum no espaço que é de todos? Ou mostrar que os verdadeiros deficientes físicos são aqueles que se locomvem numa lata de toneladas que transporta cerca de 80kg e acham implicitamente que o espaço público deve estar acomodado à esgotante presença bruta do automóvel?
 
Da minha parte, um abraço e muitos parabéns. Espero que suscite algumas reflexões. E mais intervenções, claro.

1 comentário

Comentar post