Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Menos Um Carro e a Crise (aumentada)

MC, 11.10.10

Na sequência da (pro)posta anterior, aqui ficam as minhas sugestões para a crise económica e financeira:

 

Curto prazo (défice orçamental)

 

Cobança de portagens em todas as auto-estradas. (700 milhões de euros gastos este ano, equivalente a 5% do défice de este ano)

Fim do incentivo ao abate de automóveis (que chega a 1800€ por carro, 60 milhões gastos este ano).

Cobrança de estacionamento em todas as cidades, incluindo a residentes (preços reduzidos), como é feito na maioria da Europa.

Fim do investimento em novas rodovias.

Fim dos sete benefícios fiscais dados aos automóveis elétricos.

Corte para metade dos reembolsos por deslocações em automóveis privados (Portugal tem dos valores mais altos)

Maior aplicação de multas e a sua cobrança efetiva (temos das aplicações menores, e já nem falo da cobrança).

(Infelizmente, enquanto tivermos um vizinho que tem dos impostos sobre os combustíveis dos mais baixos na Europa, é impossível aumentar estes impostos, de modo a que o preço final reflita os custos totais do seu uso, sem uma concertação a nível da UE)

 

 

Médio e longo prazo (dívida externa, baixa produtividade)

 

Investimento em larga escala na ferrovia e em transportes públicos em detrimento da rodovia. Isto levaria a

  1. Menor importação de petróleo, responsável por grande parte do défice comercial.
  2. Menores custos com os transportes, logo aumento da competitividade da economia.
  3. Aumento do consumo público (neste caso investimento público), num período onde a procura privada está retraída.
  4. Menor compra de automóveis (responsável por parte do endividamento privado, logo dívida externa)

 

 


Página a ver, umas das iniciativas lançadas pela CML na semana da mobilidade, a Lisboa Ciclável.

3 comentários

Comentar post