Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Chips nas matrículas II

MC, 03.07.10

Como escrevi há três anos aqui, a introdução de chips nas matrículas dos automóveis permitiria resolver imensos problemas de controlo do tráfego. Além das portagens nas auto-estradas, seria mais fácil introduzir portagens urbanas, controlar o pagamento de parquímetros (e acabar com o maior desperdício de dinheiro que deve haver no país: ter pessoas a verificar se o carro tem a senha), combater excessos de velocidade, semáforos inteligentes (por detetarem quantos veículos há de cada lado), etc.

Apesar de a CNPD ter bastante poder no controlo do abuso de dados pessoais, há obviamente a a preocupação da violação da privacidade. O que dizer se um dia o chip poder ser localizado em qualquer local, e não apenas na portagem? O que dizer se o chip reconhecer a pessoa em concreto, e não apenas o carro? O que dizer se o chip acompanhar a pessoa e não o carro, sendo assim possível localizá-la quando está na praia ou em casa? O que dizer se um dia estes dados estiverem disponíveis não só para o Estado mas para grandes empresas privadas?

Mas isso existe. Chama-se telemóvel.

Claro que o seu uso não é obrigatório (embora eu já não conheça ninguém que tenha exercido o seu direito de não o ter), e ele pode ser desligado. Mas comparando um sistema com o outro, eu não tenho dúvidas sobre qual deles me faz mais confusão. E não são os chips.

 


A ler no Passeio Livre, uma apologia ao jaywalking (atravessar a rua fora dos sinais e passadeiras)

9 comentários

Comentar post