Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Buzinão

MC, 18.01.07
Proibido buzinarUma das primeiras coisas que se nota mal se regressa a Portugal é a enorme barulheira das cidades. Não apenas pela quantidade de trânsito mas também pelo motor das motas alterado para assinalar a sua presença com 5 quarteirões de antecedência e principalmente pelo buzinar por-dá-cá-aquela-palha.
Em Portugal apita-se por tudo e por nada. Desde o "está verde há 1 segundo e ainda não te mexeste" ao mais simpático "passe, passe", passando pelo prolongado "estacionaste em 2ª fila e agora não consigo sair". O meu favorito vai para o automobilista numa interminável fila de trânsito, onde tudo está parado, que desata a buzinar incessantemente... até hoje ainda não percebi porquê.
Para lá do incómodo, stress e ansiedade causado a quem trabalha, estuda, dorme, descansa, circula etc... nessa rua que deveriam ser suficientes para pôr a mão na consciência - sou um sonhador! - dos condutores, buzinar também é proibido. Talvez seja óbvio mas duvido que as autoridades o saibam. Alguma vez viram um automobilista a ser autuado? Para que não fiquem dúvidas, cá fica a citação do código da estrada:

                                 Artigo 21.º
1 Os sinais sonoros devem ser breves.
2 Só é permitida a utilização de sinais sonoros:
  a)     Em caso de perigo iminente;
  b)     Fora das localidades, para prevenir um condutor da intenção de o
          ultrapassar e, bem assim, nas curvas, cruzamentos, entroncamentos e
          lombas de visibilidade reduzida.
7 Quem infringir o disposto nos n.ºs 1 e 2 é sancionado com coima de 60 a 300
  euros.

Porquê parar os taxis?

MC, 08.01.07
TaxiO DN volta hoje a referir algumas medidas do Plano Nacional para as Alterações Climáticas que foram publicadas no Verão (ver este post). A que dão maior relevância é a obrigação de os taxis cumprirem um dia de descanço semanal.

Admito que nunca percebi o porquê desta medida em termos de poluição. Duvido que o número de viagens de taxi baixe (talvez se espere mais por uma), e mesmo que baixe um pouco levará provavelmente ao aumento de viagens em automóvel privado. É verdade que os taxis são muitas vezes carros a diesel mal afinados, mas também é verdade que em muitos aspectos são melhores que os automóveis privados. Isto apenas porque não precisam de estacionamento, logo não enchem os passeios e a cidade, nem atrapalham o trânsito (especialmente os autocarros) com estacionamento em segunda fila.  Alguma ideia?

Protestos contra a STCP

MC, 06.01.07
A STCP fez uma mudança radical na sua rede e, tal como a Carris fez há 4 meses, optou por diminuir o número de carreiras. Isto pode ser obviamente benéfico, porque em princípio aumenta a frequência dos autocarros numa dada linha. Por exemplo quem tinha e tem que fazer um transbordo fica a ganhar. A reestruturação das rotas também pode ser importante: aumentar a cobertura onde cresceu a procura, diminuir onde apareceu o metro, etc...

Em qualquer alteração há sempre protestos de quem é resistente às mudanças  ("estávamos tão bem"), de quem só olha para o seu umbigo ("agora tenho que apanhar dois"), de quem critica por criticar ("é sempre a mesma coisa!"), etc... mas quando bairros deixam de ser servidos à noite e aos fins-de-semana não há volta a dar: o serviço piorou.

Os portuenses há vários dias que não se calam. Chegaram a ser mil pessoas numa manifestação! Num país habituado apenas a ver protestos pelo alargamento de auto-estradas, fim das portagens, etc... estas manifestações são muito importantes. Aliás Portugal não é só peculiar pelas manifs pró-carro, mas por a maioria das manifs, seja por que razão for, serem feitas de carro!!

Não conheço bem o caso da STCP mas a mudança da Carris também foi uma desilusão. Houve várias carreiras que por serem semelhantes, foram unidas numa só (por exemplo, o 35 e o 67 passaram a 767). Na página da Carris, dizia-se que a frequência do 35 e do 67 seria aumentada. De 4 ou 5 por hora passaram de facto a 6 ou 7. Só que dantes eram duas carreiras... ou seja 8 ou 10 por hora. Se há dúvida que a Carris nos toma por palermas...

A história repete-se e repete-se. Os autocarros perdem passageiros, acumulam-se os prejuízos, reduz-se a oferta, mais pessoas ficam mal servidas e deixam o autocarro, etc... Ainda foi há pouco tempo que a Carris "dispensou" várias centenas de motoristas.


P.S. Aproveite para escrever para STCP, S.A.
Av. Fernão Magalhães, 1862 13º
4350-158 Porto

Onde está o passeio nas Picoas?

MC, 01.01.07
Foto de satélite da Av Fontes Pereira de Melo

Parece uma brincandeira, mas não é. A avenida que se vê é a Fontes Pereira de Melo, uma das zonas mais centrais de Lisboa onde há milhares de empregos, lojas, centros comerciais, cinemas. Mais precisamente vê-se a zona onde a avenida passa entre o Hotel Sheraton (e o C.C. Imaviz) e o Forum Picoas. O que não se vê é o passeio. Porque ele não existe.

Do lado leste (direita) há um estreito passeio que está na sombra, mas do lado oeste ele não existe pura e simplesmente. Há apenas um patamar bem mais elevado, pertencente ao Hotel, que vai rente a este. A qualquer hora é ver os peões a andarem no alcatrão entre os carros estacionados legalmente.

Não sei o que será mais confrangedor, se a segregação dos peões por quem é responsável pelo espaço público ou se o facto de tanta gente passar por ali (inclusivé eu!) e nunca ter reparado na ausência da calçada por aceitar esta situação como banal.

Pág. 2/2