Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Auto-estrada de borla como apoio social

MC, 09.11.09

"O país atravessa uma crise profunda e prolongada cujo fim está ainda distante e que atingiu particularmente a Região Norte. Não aceitamos que, neste contexto de crise, se agravem os custos para os utilizadores das auto-estradas", João Semedo do Bloco de Esquerda ontem ao Público estando em causa uma auto-estrada Porto-Viana do Castelo.  Ainda segundo a notícia o Bloco "alertou" o Governo sobre as "graves consequências sociais económicas" que resultarão da concretização desta medida e pretendeu "estimular" a luta contra a mesma.

Resumindo, o Bloco está preocupado com as consequências sociais sobre os portugueses que são donos de um automóvel, que o utilizam em longas deslocações e que moram numa das regiões mais desenvolvidas do país, e quer portanto que o resto do país lhes pague a portagem.

 


Em Lisboa, a Lisboa e-Nova organiza um encontro sobre O Estacionamento Pago como Meio de Gestão da Mobilidade e Tráfego com a presença do Tiago Farias do IST nesta quinta-feira dia 12.

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Miguel 11.11.2009

    Tu consegues chegar de Viana à zona do Hospital de S.João no Porto (para chegar aqui os engarrafamentos resumem-se a uns 10-15 minutos de fila para entrar na circunvalação) em 65-70 minutos (onde há uma abundância de lugares livres e gratuitos até às 8:30-9:00, depois disso chegam os estudantes universitários e aquilo enche tudo). Lá apanhas o metro e demoras uns 15-20 minutos a estar na parte do Porto servida pelo comboio (de carro demorava mais ou menos o mesmo, só que no centro já teria que pagar pelo estacionamento). Ou seja consegues sair de Viana por volta das 7:30 para estar no Porto às 9. De comboio tens que sair um bocado mais cedo. (estou a comparar aqui os sítios servidos pelo comboio, que é Campanhã e a baixa, para a zona da Boavista/Foz o cenário é totalmente diferente, porque aí o tráfego automóvel é muito mais intenso, mas quem vier de comboio para ir para essas zonas também não pode ir de metro - porque não existe - e apanha o trânsito na mesma)
    Claro que o ideal para estas pessoas era viverem no Porto, mas isso já é outra conversa.
  • Sem imagem de perfil

    Joana 11.11.2009

    Tantos "incentivos" à utilização do automóvel: inexistência de portagens, estacionamento gratuito no centro da cidade, horários de comboio desajustados...
  • Sem imagem de perfil

    Miguel 11.11.2009

    Pois, é o que temos. E desta maneira torna-se complicado o comboio alguma vez ser alternativa (o autocarro é, eu quando disse que se demorava 75-80 minutos de Viana àquela zona do Porto é a velocidade moderadas 100-110 kmh, que é mais ou menos à velocidade que o expresso faz o percurso, apenas fazendo um pequeno desvio para ir a Esposende - isto quando não vem cheio e resolve não passar por Esposende e deixar as pessoas lá apeadas...só aos domingos à noite e à 6a à tarde é que resolvem mandar 2 autocarros de vez em quando por causa dos estudantes universitários).
    Só mais uma coisa: não há estacionamento gratuito no centro da cidade. Eu disse que havia na zona do hospital, que está longe de ser no centro (atravessas a circunvalação e estás em S. Mamede, concelho de Matosinhos). No centro o estacionamento é pago e felizmente os passeios ainda estão mais ou menos desocupados (excepção feita aos arruamentos mais secundários onde a PSP parece que não passa, mas pelo que vejo a situação parece ser mil vezes melhor do que em Lisboa)
    Isto já quase parece um chat... :D
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.