Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Menos Um Carro

Blog da Mobilidade Sustentável. Pelo ambiente, pelas cidades, pelas pessoas

Notícias soltas

MC, 15.05.09

Crise ajuda transportes públicos segundo o Expresso. Os valores são muito pequenos, e falar do caso do Porto é esquecer que o Porto teve grandes melhorias devido ao Metro ultimamente. O que é mais interessante, é que o número de viagens de carro dentro das cidades tem diminuído, aí sim os números são maiores.

Quando alguém diz que aumentar o preço não resolve nada, porque as pessoas vão continuar a abusarem do carro, lembrem-se desta notícia.

Governo vai instalar mais 100 radares de velocidade e ainda bem! O sentimento de impunidade ao volante é uma coisa absurda. Eu acho um pouco desumano chamar "caça à multa" à penalização de quem põe a vida dos outros em risco, mas seja lá qual for o nome ainda não conheci nenhum outro modo de contrariar os 160 nas AEs, os 130 na estradas e os 90 na cidade.

 

A propósito da construção de um ciclovia na freguesia de Alvalade em Lisboa, a Junta de Freguesia local está revoltadíssima. Bem espremida a sua argumentação resume-se a "chateia os popós",  incluindo uma espantosa crítica à redução de dois para um sentido de circulação numa rua no bairro. É que esse é um truque clássico para afastar o trânsito intenso das ruas residenciais, mas provavelmente a junta também está contra isso. Pessoalmente não tenho opinião formada sobre a ciclovia, mas nunca tinha visto uma junta fazer tanto alarido, ao ponto de lançar um abaixo-assinado (!), por seja o que for... Mas neste caso é pelo popó. 


A ler: mais um artigo do politólogo Pedro Magalhães a defender portagens urbanas em Lisboa.

Há aqui três falácias. A primeira consiste em supor que a introdução de taxas para entrar em Lisboa de automóvel retira "direito à cidade", como se não houvesse outras formas de entrar e circular em Lisboa e como se o excesso de trânsito não fosse, ele próprio, atentatório do "direito à cidade". A segunda consiste em supor que a faculdade de circular de automóvel por onde muito bem se entenda é um "direito" ilimitado. O problema é que, mesmo que fosse um "direito", não há cidade nenhuma no mundo (...) onde esse direito seja ilimitado.

5 comentários

  • Sem imagem de perfil

    João Branco 15.05.2009

    Bandas sonoras, perfis viários mais estreitos, etc.
    Estranho que a actual edilidade ao mesmo tempo pediu dinheiro ao governo para adaptar os perfis para ficarem mais amigos dos aceleras (como compensação pela TTT) e quer ter mais poder de policiamento para controlar o problema que causa.

    Na Alfredo Bensaúde umas simples bandas sonoras serviram para reduzir os níveis de street racing (os pilotos-de-trazer-por-casa encontraram no entanto percursos alternativos).

    Aquilo a que se pode chamar com correcção "caça à multa" é exactamente a criação de condições que convidem à infração para depois fazer dinheiro com as multas. No Algarve havia um caso bom para exemplificar: não se podavam umas árvores que tapavam um sinal <30 km/h e o carro-radar estacionava uns metros à frente.

    Claro que o termo é usado abusivamente, e nisso estou contigo. Só denuncio é o "não conheço mais nenhuma maneira de ... "
  • Imagem de perfil

    MC 21.05.2009

    Não são mutuamente exclusivos ;)
    E não sei se fará sentido usar esses truques em vias com um grande fluxo de tráfego..

    De qualquer maneira, uma coisa é penalizar, outra coisa é provocar a penalização.. Não percebo bem o exemplo da árvore, porque o problema não era o radar mas a árvore.
  • Sem imagem de perfil

    João Branco 21.05.2009

    "Não são mutuamente exclusivos ;)"

    Boa tentativa de virar o bico ao prego. Foste tu que disseste, e passo a citar

    " ainda não conheci nenhum outro modo de contrariar os[...] 90 na cidade."

    O meu comentário pretendia:
    1- Denunciar essa tua afirmação
    2- Demonstrar que existe de facto um fenómeno de "caça à multa" que nos prejudica a todos. Os radares na Infante Don Henrique não reduzem a velocidade máxima lá praticada (apenas fazem com que haja mais acelerações e travajem). Lombas e obstáculos a contornar seriam mais eficazes. Fazer perfis de estrada bons para corridas e depois pôr radares inclui-se naquilo a que tu chamas "provocar a penalização".
  • Imagem de perfil

    MC 21.05.2009

    Tens razão!! O que queria dizer era que aumentar a fiscalização não impede a implementação dessas medidas e vice-versa.

    O problema dessa avenida é os radares estarem fixos num percurso tão longo.
    Discordo quando comparas o perfil à provocação da infracção. O perfil já existia antes das multas, a intenção do perfil nunca foi arrecadar dinheiro. Eu não concordo com aquele perfil, de faixas largas e a servir de barreira na cidade. Mas por alguma razão nunca vi lombas e obstáculos em vias semelhantes noutros países... Talvez pequenos passeios entre todas as faixas de 500 em 500m fosse uma ideia.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.