Sexta-feira, 25 de Fevereiro de 2011

Portugal não precisa da bicicleta para nada

Portugueses comem cada vez pior.

 

Portugal entre países com mais obesidade entre raparigas.  

 

Ar sujo desencadeia mais ataques cardíacos do que a cocaína (em inglês)

 

Portugueses desconhecem gravidade das doenças cardiovasculares (a principal causa de morte no país)

 

 

publicado por TMC às 16:47
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Sábado, 9 de Janeiro de 2010

Tram-trains

O tram-train é um comboio que é eléctrico (trem que é bonde em brasileiro) e um eléctrico que é comboio. É um veículo que está preparado para funcionar tanto a velocidades altas e poucas paragens como a velocidades baixas e muitas paragens. Muito mais importante ainda é  circularem nos dois sistemas diferentes, dentro e fora da cidade, que usam sistemas de alimentação eléctricos diferentes (voltagem, etc.). Pensem nos cabos que há nas linhas da CP e nos cabos dos eléctricos/trolleys citadinos e só daí perceberam a diferença.

O tram-train nasceu nos anos 80 em Karlsruhe, quando a cidade se apercebeu dum problema que estava a afastar muita gente dos transportes públicos: quem morava fora da cidade podia chegar facilmente à cidade de comboio, mas o comboio não os deixava onde queriam. Para a maioria era necessário mudar para o eléctrico (o que implica desconforto, mais uma espera, mais um horário a saber, mais incerteza no tempo de viagem, etc.) para chegarem ao destino final. A solução passaria por ter um comboio que vinha de longe e entraria pela cidade dentro (aqui fica a minha dedicatória a quem acha irrelevante o facto de as principais estações de Lisboa, Porto e Coimbra estarem longe do centro, porque "têm boas ligações"). Com um pouco de imaginação de engenheiro, o sistema híbrido foi criado e inaugurado em 1991. A solução foi um sucesso, tendo sido alargado a outras linhas de Karlsruhe e a várias cidades por todo o mundo.

 

Esta semana há notícias da chegada de um tram-train ao Porto, na linha da Póvoa. Não é exactamente um tram-train no verdadeiro sentido da palavra, mas um eléctrico que está preparado a atingir grandes velocidades (100km/h) quando circula nas linhas sub-urbanas. Tem ainda a capacidade de devolver à rede eléctrica a energia cinética (energia do movimento) quando trava, poupando assim até 30% do consumo.

 


A ler o artigo Do Cars Cause 100.000 US Deaths a Year no blog do Carbusters, onde se mostra que os homicidios ligados à sinistralidade automóvel são apenas uma parte do grave problema de saúde pública que é a ditadura automóvel.

publicado por MC às 16:30
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
Quinta-feira, 8 de Outubro de 2009

A poluição sonora automóvel mata

Esta notícia não merece ser atirada para o rodapé.


A recent Swedish study of 30,000 people in the province of Skåne has confirmed what many other studies have suggested. That the noise generated by traffic causes higher blood pressure and increases the risk of heart disease, strokes and blood clots.

"We have determined that at noise levels over 60 decibels there is a connection between high blood pressure in the young and the middle-aged and that it's an important risk factor in relation to heart disease and strokes"
, says Theo Bodin from the University Hospital in Lund.

 

Quem já passou por Amesterdão e Copenhaga, sabe bem como uma cidade pode ser tão diferente de Lisboa, Porto, Braga, etc. As cidades podem exister sem ruído.

 


Num documento da FPCUB como o Nuno Xavier - um leitor do Menos Um Carro - largou totalmente o automóvel e se tornou num ciclista urbano 100% convencido, via Vou de Bicicleta.

publicado por MC às 03:40
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Quinta-feira, 9 de Julho de 2009

A poluição automóvel e a saúde de crianças e idosos

Notícia do DN já com um mês (versão completa aqui):

 

Urgências enchem-se de crianças com picos de poluição

 

(...)

Os picos de poluição em Lisboa fazem disparar o número de crianças com problemas respiratórios e também aumentar o risco de mortalidade, sobretudo na população idosa. É no eixo central da cidade, que corre do Lumiar para o castelo, que se incluem as zonas mais poluídas e o tráfego automóvel demonstrou ser o factor mais importante para a concentração excessiva de partículas no ar que os lisboetas respiram.

(...)

Os dados mostram, pela primeira vez, que, na sequência de picos de poluição (três a cinco dias depois), a afluência às urgências pediátricas do Hospital D. Estefânia por infecções respiratórias tem um aumento significativo. Isto, apesar de, habitualmente, estas doenças já representarem um terço dos atendimentos na unidade, sobretudo por infecções agudas, asma e pneumonia.

(...)

A equipa avaliou todas as faixas etárias e concluiu que há uma subida do risco de morte em 0,66% com um ligeiro aumento da poluição, que se situa em dez microgramas por metro cúbico (um micrograma é a milésima parte do miligrama). Mas para a população idosa, com mais de 75 anos, "esse risco é aumentado, sobretudo para as pessoas que sofrem de doenças respiratórias e do aparelho circulatório", explica.

(...)

"Lisboa tem em algumas zonas concentrações de partículas no ar muito acima dos valores-limite estabelecidos pela UE, com base nas recomendações da Organização Mundial de Saúde, e por isso decidimos fazer um estudo que caracterizasse essa poluição", conta Francisco Ferreira.

(...)

De acordo com a directiva europeia para a qualidade do ar, a concentração de partículas PM10, por exemplo, não pode ser superior a 50 microgramas por metro cúbico em mais de 35 dias ao longo do ano. Mas, à excepção de 2002, Lisboa tem excedido todos os anos esse limite.

 

Por curiosidade, segundo o qualar.org, hoje às 13h (uma hora com pouco trânsito, num dia em que já há muita gente de férias, num dia algo ventoso 30km/h segundo o Yahoo Weather) havia 43µg/m3 na "avenida" da Liberdade... pouco abaixo dos 50 máximos.

 


A ler, com especial dedicação ao Paulo Lourenço do JN: In Amsterdam, more trips now by bike than by car

publicado por MC às 17:49
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Terça-feira, 4 de Março de 2008

Pequenos "efeitos colaterais" da ditadura do automóvel X

Noise from rail and road transport is linked to 50,000 fatal heart attacks every year and 200,000 cases of cardio-vascular disease in the EU, de acordo com um estudo da European Federation for Transport & Environment.
Uns 135 mortos por dia apenas devido ao ruído dos transportes!

The study estimates that the full costs to society, including costs to health services, of traffic noise pollution are at least EUR 40 billion per year.

Children exposed to high levels of traffic noise have been shown to suffer from difficulty concentrating; difficulty sustaining attention; difficulty remembering complex issues and poorer reading and general school performance. Costs to business include sick days and lower productivity of staff.

Outros posts sobre Pequenos "efeitos colaterais" da ditadura do automóvel
publicado por MC às 19:18
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008

Obesidade infantil

Ainda ontem a RTP transmitiu um programa sobre esse grave problema de saúde pública nos países ricos que é a obesidade infantil. E por coincidência O Xiclista tinha há dias uma tabela sobre esta doença nos vários países europeus:

Os países que mais associamos às bicicletas (Holanda, Dinamarca e Alemanha) estão os três no fundo. Portugal parece ser o primeiro em obesidade (barra escura), e está acompanhado pelos seus vizinhos mediterrânicos e "bicicletofóbicos" em termos de peso excessivo. Nem a dieta mediterrânica nos safa.
Claro que correlação não é causa, e a alimentação e o desporto escolar também contam (a correlação será bem mais baixa de certeza). E claro que andar de carro não implica ser obeso. Julgo que a situação é ainda pior, é toda a cultura de sedentarismo e comodismo que lhe está associada que é ali reflectida na tabela.
publicado por MC às 11:00
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 22 de Janeiro de 2008

Cada condutor inglês custa 512€ em saúde em comparação com um ciclista

Ora aqui está mais um número a provar os enormes custos que a ditadura do automóvel traz à sociedade. Um estudo da Cycling England, uma organização semi-governamental, indica que por cada automobilista que deixe o automóvel e passe a usar a bicicleta há uma poupança de 382 libras em custos de saúde.
Lembre-se disso da próxima vez que pensar que os impostos sobre os combustíveis são altos.
(via velorution)
publicado por MC às 16:58
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2007

Pequenos "efeitos colaterais" da ditadura do automóvel VI

Porque será que muitos dos principais problemas de saúde no mundo ocidental, como hipertensão, diabetes, colesterol, enfartes, doenças vasculares, etc... têm como uma das causas o sedentarismo?
Ou por outras palavras, como se pode ser minimamente saudável quando o maior exercício físico que se faz no dia-a-dia é caminhar da porta do prédio até ao automóvel (o que já será um desporto radical para quem tem garagem)?


Roubado do Carectomy
publicado por MC às 01:58
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 18 de Setembro de 2007

Acabar com os carros em Londres...

Pequena notícia no Público de Domingo (com comentários meus entre [...]):

Acabar com os carros em Londres é a proposta de investigadores britânicos que publicaram há dias as suas conclusões na revista The Lancet [uma das mais famosas revistas científicas em medicina, especialmente em saúde pública]. Hoje em dia, sete de cada dez viagens de automóvel em Londres cobrem distâncias inferiores a oito quilómetros . Ora, a erradicação do automóvel da capital do Reino Unido e a sua substituição por bicicletas, marchas a pé e recurso aos transportes públicos se necessário - permitiria reduzir em 72 por cento as emissões de CO2 até 2030 [e obviamente de muitos outras emissões de impacto mais local]. Ainda na mesma revista, é feita um tipologia dos utilizadores de automóveis londrinos e calculam-se os benefícios para a saúde de uma tal mudança do estilo de vida. Coisas como gastar 33 mil calorias adicionais por ano - e para as mulheres, reduzir os riscos de cancro da mama em 25 por cento ou aumentar a esperança de vida em um a dois anos. E também, para os homens, ver o seu risco de morte prematura reduzida até 40 por centro e o risco de diabetes em 30 por cento.

Acabar com os carros em Londres?? Estas gentes do Norte da Europa tem cada ideia!
publicado por MC às 16:04
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 1 de Agosto de 2007

Japão: Indústria Automóvel paga Indemnização a Asmáticos

Após 11 anos de processo judicial, os construtores automóveis japoneses aceitaram pagar 7,5 milhões de euros a asmáticos, que alegadamente contraíram a doença devido à poluição atmosférica.
Se a indústria tabaqueira já pagou milhões e milhões, este desfecho parece-me mais que óbvio.
E tal como acontece com o tabaco, onde grande parte do preço é imposto, não fará sentido que os custos em termos de saúde e ambiente recaiam sobre o preço dos automóveis e dos combustíveis, em vez de recair sobre todos?
Relembro dois número que já mencionei:
35% das urgências no Hospital Pediátrico da Estefânia devem-se a problemas respiratórios
1315€ é o custo para cada europeu (independentemente de andar de carro ou a pé) da sociedade do automóvel
publicado por MC às 13:25
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Portugal não precisa da b...

Tram-trains

A poluição sonora automóv...

A poluição automóvel e a ...

Pequenos "efeitos colater...

Obesidade infantil

Cada condutor inglês cust...

Pequenos "efeitos colater...

Acabar com os carros em L...

Japão: Indústria Automóve...

tags

lisboa(219)

ditadura do automóvel(204)

ambiente(202)

bicicleta(153)

cidades(113)

portugal(111)

peões(102)

sinistralidade(72)

carro-dependência(67)

estacionamento(66)

transportes públicos(66)

bicicultura(58)

espaço público(57)

economia(55)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006