Domingo, 7 de Novembro de 2010

E se as cidades fossem ao contrário? II

E se nos cruzamentos de bairro os passeios fossem contínuos e os peões não tivessem que atravessar o alcatrão?

 

.........................................................................

A ler O fim da mobilidade automóvel de Brian Ladd no Jornal de Negócios, republicado no CidadaniaLx.

publicado por MC às 23:34
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010

Conclusões de um taxista chateado

Movimento “Menos um carro” diz que há menos automóveis a entrar diariamente em Lisboa

Conclusão: se os autocarros da Carris (empresa responsável pelo "movimento") mal entram nos subúrbios de Lisboa, a diminuição do número de entradas por carro na cidade não se deve aos transportes públicos da empresa.

Energia: Administração Pública é quem menos contribui para eficiência energética do país.

Conclusão: é inevitável. A solução era não terem feito edifícios envidraçados no meio do nada com parque de estacionamento gratuito só por os terrenos serem mais baratos. Ver localização da Agência Portuguesa do Ambiente.

Viseu: 94 atropelados nas passadeiras

Três mil atropelamentos custaram a vida a 56

ACP lança campanha sobre cuidados para atravessar estradas

Conclusão: esta é fácil: o presidente do ACP é uma besta.

Uso generalizado da bicicleta é benéfico para a sociedade.

Conclusão: se sabemos que existem benefícios no uso da bicicleta e malefícios no uso do carro nas cidades, porque é que há tanta liberdade de escolha?

publicado por TMC às 00:48
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Domingo, 19 de Abril de 2009

Fugiu a boca para a verdade

É um mísero detalhe, um lapsus linguae, daqueles que fazemos sem notar. Mas é nestas coisinhas pequeninas e insignificantes que percebemos o que vai realmente na cabeça das pessoas. Na zona mais central de Rio Maior existe isto:

 

 

Num acesso a uma garagem, que é feito através do passeio, a câmara municipal desenhou uma passadeira. As passadeiras existem onde os peões podem atravessar  os locais reservados à circulação automóvel. Um passeio não é, em princípio, um desses casos. Ou será que sim?

 


A ler: a reacção dos comandantes da PSP sobre o reforço da polícia municipal em Lisboa, onde o representante destes afirma que tal reforço só serve para aumentar as receitas das multas para a câmara. Quando a própria hierarquia da polícia não percebe porque é que se hão de fazer cumprir as leis, estamos muito mal.

publicado por MC às 17:33
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Segunda-feira, 30 de Março de 2009

O que fazer para evitar isto?

A iniciativa divulgada no post abaixo anda a dar algumas dores de cabeça a automobilistas que já se tinham habituado a estacionar no passeio mais próximo incomodando os peões.

 

Agora sempre terão de passar uns minutos em limpezas se quiserem andar por aí sem mostrar que cometeram uma ilegalidade.

 

Foto Roubada ao Forum Auto-Hoje

 

 

Esta acção é participação cívica no seu melhor e pode ser que os condutores em vez de gastarem 5 minutos a retirar o autocolante passem a gastar 5 minutos à procura de melhor lugar de estacionamento.

publicado por António C. às 16:38
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 15 de Abril de 2008

Eles passarão, tu passarinho. Até quando?


Passagem de peões na Rua da Graça (Lisboa)

Excelente, depois da Casa da Música no Porto, temos um activismo pró-peões em Lisboa!

Se alguém por detrás de um ou do outro caso estiver a ler isto, eu gostava de saber mais -> menos1carro arroba sapo.pt
publicado por MC às 10:44
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 11 de Janeiro de 2008

Mais um homicídio e uma tentativa de um outro

Hoje no DN, no fundo de uma página, mais duas pequenas notícias a passarem despercebidas: uma mulher que foi morta por atropelamento ao passar a passadeira depois de sair do autocarro em Viana do Castelo, e outra que foi atirada para o hospital e está em perigo de vida porque atravessava outra passadeira em Rio Maior.
Como sempre a notícia (e o mal está na sociedade, não no DN) pouca referência faz aos homicidas.
Como sempre os casos são tratados como se de acidentes naturais se tratassem, ou seja obra do mero acaso e totalmente inevitáveis, e não como consequência da mais bárbara negligência humana.
Como sempre há um total inversão de valores no caso do homicídio de Viana do Castelo onde não se questiona o comportamento do homicida, mas sim a localização da paragem de autocarros! A culpa é quase atribuida a quem a pôs ali. Até pode ser que a localização seja má, mas a localização não mata ninguém, ao contrário de quem conduzia sem o mínimo cuidado.
E ainda temos que aturar com hipocrisias que referem a necessidade de educar os peões a usar a passadeira... A estas duas vítimas pouco serviu estar na passadeira, só não vê isso quem não quer ver.

Já agora, o primeiro caso é mais um excelente exemplo do quão importante pode ser a lei alemã (aqui referida) que obriga o trânsito a circular devagar junto a autocarros.
publicado por MC às 15:28
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 20 de Setembro de 2007

Peões em Lisboa

Em plena semana da mobilidade, aqui ficam duas reportagens da Sic sobre a mobilidade dos peões. A primeira foi filmada já em Maio de 2006 e a segunda passou hoje, dia 19 de Setembro de 2007.





Felizmente ainda aparecem na política pessoas com verdadeiro sentido cívico e vontade de alterar o estado das coisas. Um vereador sem pelouro a efectuar verdadeiro serviço público, quanto mais não seja pela divulgação dos problemas.

Parabéns Manuel João Ramos!

P.S.- O conceito de ruas partilhadas ainda não ficou explicado, no entanto é assunto a voltar brevemente neste Blog!
publicado por António C. às 00:54
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

E se as cidades fossem ao...

Conclusões de um taxista ...

Fugiu a boca para a verda...

O que fazer para evitar i...

Eles passarão, tu passari...

Mais um homicídio e uma t...

Peões em Lisboa

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(216)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(71)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(58)

espaço público(58)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(33)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006