Terça-feira, 15 de Julho de 2014

O lado "verde" do apoio ao abate de carros explicado às crianças

O governo parece querer repescar o triste programa de apoio ao abate de carros antigos (mais de 10 anos), para incentivar a comprar de carros ditos "mais verdes". Como é que este programa funciona?

 

Decides vender o teu carro para passares a andar a pé? O Estado não te ajuda.

Decides vender o teu carro para passares a usar os transprotes públicos? O Estado não te ajuda.

Decides vender o teu carro para passares a andar de bicicleta? O Estado não te ajuda.

Decides vender o teu carro para continuares a andar de carro? O Estado paga-te 3500€ (o que pagaria 3000 viagens de autocarro na cidade, ou 20 bicicletas) se quiseres um popó eléctrico, 2500€ para um popó híbrido, 1000€ para um popó com emissões de CO2 ligeiramente abaixo da média.

 

Relembro que em Bruxelas quem abate o seu automóvel recebe passes de transportes públicos durante 2 anos ou bicicletas.

publicado por MC às 15:44
link do post | comentar | favorito
15 comentários:
De Rui a 15 de Julho de 2014 às 16:56
Embora eu ache este programa um belo exemplo de green washing (como tantos outros que pululam por aí), cujo único objetivo é aumentar a receita do Estado e enganar o povinho, dizer que o Estado "paga" o que quer que seja não está correto. O Estado não paga nada, simplesmente coleta menos impostos.
Quando recebo o (cada vez menor) reembolso do IRS o Estado não me está a pagar nada, está a devolver-me dinheiro que me tinha coletado (extorquido?).
De Rui a 15 de Julho de 2014 às 17:00
Agora, uma coisa que não percebo. Como é que vão dar um incentivo de 3500 euros aos carros eletricos em sede de ISV, se estes nao pagam ISV? Ou ja pagam e essa noticia passou-me ao lado?
No tempo do Socrates o Governo dava um subsidio de 5000 euros (esse era mesmo um subsidio, embora mesmo assim nao cobrisse o que esses carros pagavam de IVA, por isso o Estado acabava por ainda coletar impostos) aos carros eletricos. É disso que estamos a falar?
De MC a 16 de Julho de 2014 às 11:07
Pois, também não percebi a referência ao ISV nos elétricos. Presumo que a isenção que vinha do governo anterior tenha sido suspensa, mas não ouvi falar nisso.
De MC a 16 de Julho de 2014 às 11:06
É a diferença é meramente semântica. Tanto no caso em que o Estado "paga" à pessoa, como no caso em que "coleta menos impostos", o Estado fica com menos 3500€ do que acontecia até agora, e a pessoa com mais 3500€. O artificio legal pelo qual isto é feito, parece-me irrelevante.
De Rui a 16 de Julho de 2014 às 14:42
Não, não é. Isto quando muito é matemática, de semântica não tem nada.
De João Pimentel a 17 de Setembro de 2014 às 15:56
Caro Rui

Quando o Estado recolhe menos 3500€, esse dinheiro fica-lhe a mais no bolso! Se o IVA de um almoço de 10€ fosse amanhã de 1% não diria, que "ganhou" 2,2€?

A comparação com o IRS é errada, pois no caso do IRS o Estado faz a retenção salarial muito antes da devolução do dinheiro, incluídas as deduções fiscais. Neste caso concordo consigo.

No caso do artigo, concordo em pleno com a ideia geral do MC.
De Rui a 17 de Setembro de 2014 às 18:48
Nao, obviamente que nao diria tal coisa. Que absurdo.
Por essa teoria sempre que almoça por 10 euros e paga 23% o estado esta a pagar-lhe infinitos euros, pois podia cobrar-lhe iva infinito.
Alias sempre que respiro estou a ter um subsidio, porque o Estado tambem me podia cobrar por isso.
De João Pimentel Ferreira a 17 de Setembro de 2014 às 19:26
Não foi isso que eu disse? O fisco não paga nada a ninguém, não precisa de mo recordar; mas do ponto de vista do seu saldo financeiro pessoal, o balanço é exatamente o mesmo. Para mais Estado somos todos nós, por isso se paga por um lado, em teoria receberá de outro.
De Rui a 17 de Setembro de 2014 às 22:10
Se o preciso de o recordar ou não, não sei que não o conheço de lado nenhum.
No post está dito "O Estado paga-te 3500€..." e foi isso que eu comentei.
De Catarina a 16 de Julho de 2014 às 22:54
a proposta para a fiscalidade verde está em consulta públia até 15 de agosto: http://www.portugal.gov.pt/pt/os-ministerios/ministerio-do-ambiente-ordenamento-do-territorio-e-energia/quero-saber-mais/sobre-o-ministerio/consulta-publica-fiscalidade-verde/consulta-publica-fiscalidade-verde.aspx
De bici a 2 de Setembro de 2014 às 18:19
http://visao.sapo.pt/o-lado-acidental-das-bicicletas=f794436

Creio que um comentario sobre este artigo se impunha.
De MC a 3 de Setembro de 2014 às 23:51
O artigo é parvo... e não gosto de dar tempo de antena a isso :)
De Pedro Gomes a 16 de Setembro de 2014 às 11:46
Não será bem assim... "A nova proposta da Comissão para a Reforma da Fiscalidade Verde prevê alterações nos incentivos ao abate de veículos em fim de vida, sendo uma das novidades a possibilidade de quem entrega um carro para abate poder receber vales para gastar em transportes públicos, caso não pretenda adquirir um veículo novo."
De MC a 16 de Setembro de 2014 às 15:16
Pois, nos últimos dias já havia rumores que a proposta ia ser alterada.
Na altura que escrevi o post, era aquela proposta que estava em cima da mesa.

A nova proposta é ligeiramente melhor, mas ainda tem muitos problemas. Queria fazer um post sobre isso.
De a 29 de Maio de 2015 às 19:02
Vai tu do Funchal ao Curral das Freiras de bicicleta todos os dias e depois diz-me qualquer coisa...

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006