Domingo, 10 de Fevereiro de 2008

A bicicleta é um disparate nas grandes cidades por causa das grandes distâncias

Este é mais um daqueles argumentos contra a bicicleta como transporte urbano que aparentemente só se aplica às cidades portuguesas. Senão vejamos:
Os programas de bicicletas públicas em Paris, Lyon, Barcelona, etc... vão de vento em poupa. Em Paris, nos primeiros seis meses do programa, houve 75 mil viagens por dias com apenas 10 mil bicicletas disponíveis.
Para acompanhar no Bike-sharing Blog
Em Londres vão ser criadas "auto-estradas para bicicletas" na cidade e vai ser também introduzido um programa de bicicletas públicas, num investimento de 540 milhões de euros.
(via Velo Mondial)
E para que não restem dúvidas sobre o tamanho das cidades:
Paris: 9,9 milhões de habitantes
Londres: 9,3 milhões
Lisboa: 2,4 milhões
Porto: 1,3 milhões

Claro que há muitos Lisboetas e Portuenses que fazem enormes deslocações no dia-a-dia, mas também haverá muitos cujas deslocações não chegam aos 5km. E mesmo para os primeiros é necessário investir em transportes públicos com capacidade para levarem bicicletas e bicicletas públicas disponíveis por toda a cidade.
publicado por MC às 20:49
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De António C. a 10 de Fevereiro de 2008 às 23:36
Neste caso específico seria mais interessante ver o tamanho das cidades em área e não em população... as densidades populacionais podem ser bem diferentes. No entanto concordo que Lisboa é bem mais pequena que outras capitais europeias.

Quanto às pessoas que fazem grandes deslocações para vir para Lisboa, penso que a solução não passa pela massa das pessoas transportas consigo as bicicletas, mas sim existir pontos chave onde as possam deixar durante a noite. Os grandes terminais de transporte deveriam ter parques grandes e seguros (não como o parque actual do campo grande que tem 4 lugares onde apenas 1 é ocupado regularmente por uma cadeira de rodas!?)

Outra coisa importante era que houvesse um modelo urbano de bicicleta suficientemente, barato, funcional e urbano que não significasse uma grande perda em caso de roubo. Esta seria a bicicleta ideal para usar massivamente em Lisboa... deixem-me sonhar!
De MC a 11 de Fevereiro de 2008 às 00:59
Concordo contigo!
(Só referi a população porque a área parece-me algo difícil de encontrar).
E sim, deixar perto do emprego é melhor do que carregá-la.. Escrevi aquela parte à pressa só para dar exemplos de como o tamanho da cidade não pode ser um argumento contra.
De Tárique a 11 de Fevereiro de 2008 às 10:58
Eu ando sempre de bicicleta em Lisboa e a única coisa que me traz dificuldades é a falta de regulação da velocidade dos automóveis com que partilho a estrada. Chegam a passar por mim a 100 km/h em zonas em que o limite é 50!

Ps.: Já alguém reparou que é sintomático da ditadura do automóvel que o novo espaço cultural em Lisboa é um "centro comercial das artes" em braço de prata, sem acessos públicos , mas com um parque de estacionamento à superfície gigantesco? Eu chego lá bem de bicicleta, mas não há estacionamento para ela.
De José M. Sousa a 12 de Fevereiro de 2008 às 20:03
Absolutamente! Há tempos, num problema qualquer, uma senhora dinamarquesa dizia que fazia 20km de casa/trabalho. Podem dizer, a Dinamarca é plana, mas se se gastam fortunas colossais para construir viadutos para automóveis, porque não investimentos para vencer alguns desníveis para as bicicletas.

Realmente, espaços culturais como a Fábrica de Braça de Prata, com um público jovem, deviam ser centrais na promoção destes hábitos
De MC a 13 de Fevereiro de 2008 às 19:25
No 100 de dias de bicicleta em Lisboa
http://100diasdebicicletaemlisboa.blogspot.com/
sugeria-se há tempos uma ideia bem simples para aligeirar o problema do declive nas zonas minoritárias onde ele existe. Criar transportes públicas com boas condições para levar bicicletas, a fazer percursos de pontos baixos para pontos altos. Assim que quisesse fazer um percurso com um grande desnível, poderia "subir" até a um ponto mais alto e daí seria mais fácil..

(Como sempre sublinho que eu não deixo de fazer percursos em Lisboa de bicicleta por causa do relevo... o grande papão só existe para quem não tem experiência)
De José M. Sousa a 12 de Fevereiro de 2008 às 20:04
Queria dizer: programa
De MC a 13 de Fevereiro de 2008 às 19:20
Pensei nisso quando fui a braço de prata.
Mas como esse há outros exemplos, como o polos universitários da Ajuda e do Monte da Caparica - bem longe de transportes públicos, e a estapafúrdia hipótese do IPO - que serve toda a Grande Lisboa passar para Oeiras. Agora imagine-se a volta que os doentes da linha de Sintra, Amadora, Odivelas, Alverca, Margem Sul, etc... teriam que dar. Mas graças ao brutal investimento em alcatrão, o popó até ficaria a ganhar.

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006