Quarta-feira, 30 de Janeiro de 2008

Ciclovias?

Quando se fala em bicicletas na cidade e em como promovê-las pensa-se quase automaticamente em ciclovias. Muitos queixam-se que há pouquíssimas ciclovias nas cidades portuguesas e defendem que isto seria a principal razão para haver tão poucos ciclistas por cá.
É curioso notar - para quem não está por dentro do assunto - que a defesa das ciclovias aconteça normalmente por quem tem pouca ou nenhuma experiência de usar a bicicleta na cidade, havendo até muitos opositores às ciclovias entre os ciclistas com mais experiência (na eterna discussão deste tema na mailing list da Massa Crítica/Bicicletada houve até quem propusesse uma declaração da experiência tida com o transporte bicicleta sempre que se desse a opinião) .
São dois os principais argumentos
- As ciclovias dão uma sensação totalmente falsa de segurança, porque elas na realidade aumentam a sinistralidade
- Ao segregar as bicicletas do resto do tráfego está-se a alimentar a ideia de que as bicicletas não são tráfego e a fomentar comportamentos do tipo "sai-me da frente!" (quando na realidade são os automóveis e não as bicicletas que causam congestionamento e velocidades baixas).

A propósito disto recomendo o excelente post do Frederico - com muitos quilómetros de bicicleta em Lisboa - no Vou de Bicicleta cheio de estatísticas e exemplos em vez de wishful thinking e argumentos no ar. Há ainda este texto do Mário Alves (especialista em mobilidade) sobre os perigos de segregar as bicicletas do trânsito.

Já agora reparem que a rua na foto deste post, e apesar de ser uma rua importante num bairro residencial na Holanda, não tem ciclovias. É mais um mito urbano que a maioria das ruas na Holanda têm ciclovia.

Mais:
Não use a ciclovia!(Brasil)
A associação alemã de ciclistas defende que os ciclistas circulem na rua
El carril-bici es el opio del pueblo ciclista
publicado por MC às 18:24
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De Gi a 4 de Fevereiro de 2008 às 19:56
Fico contente por ler este post.

Em Albufeira criaram-se ciclovias junto dos passeios, mas como não há cultura de bicicletas, nem bicicletas, os carros param lá em cima.
De José M. Sousa a 9 de Fevereiro de 2008 às 13:22
A CP, progressivamente, tem alargado a possibilidade de se poder transportar bicicletas nos comboios. No entanto, seria bom se tal fosse também possível no InterCidades. Tenho daquelas dobráveis que não ocupam muito espaço. A CP, com alguma boa vontade, poderia arranjar espaço em cada carruagem para o transporte de algumas bicicletas, nem que fosse apenas na condição de marcação prévia
De MC a 9 de Fevereiro de 2008 às 15:35
Em princípio as dobráveis são consideradas como bagagem normal, não podem ser cobradas. Eu não tenho experiência mas julgo que nos transportes urbanos não é levantado qualquer problemas a essas bicicletas.
De Cax a 13 de Julho de 2009 às 00:21
A acrescer a isso, o facto de a maioria das ciclovias em Portugal serem mal projectadas e meramente ornamentais. Vejam http://forum.novaenergia.net/viewtopic.php?f=29&t=10556
De MC a 15 de Julho de 2009 às 14:43
Pois!
Por um lado é bom que se comece a pensar na bicicleta, mas tenho a impressão que o dinheiro está a ser gasto às três pancadas sem o mínimo de conhecimentos técnicos...

De Gonçalo Pais a 2 de Setembro de 2009 às 16:56
As ciclovias são, conceptualmente, más. Mas em defendo-as em certas ocasiões:
- Em vias onde a velocidade seja superior a 50Km/h e sem muitos cruzamentos. Até poderiam servir de "Vias rápidas" para biclas, à imagem do que é feito em Copenhagen.
- Vias destinadas a lazer/turismo. De forma sustentada e integrada poderia ser criada uma rede de ciclovias de turismo que permitissem ciclistas visitarem o país e visitar locais turísticos. Só trariam vantagens.

É o que defende a ciclo-via.org
Abraço

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006