Quarta-feira, 24 de Outubro de 2007

As três linhas secretas de metro de Lisboa

E se eu lhe dissesse que há uma linha de Metro que faz Alcântara - Campolide - Sete Rios - Campo Pequeno - Areeiro - Chelas - Oriente, outra Damaia - Benfica - Sete Rios - ... - Oriente e ainda Cais Sodré - Santos - Alcântara - Belém - Algés?
Se calhar já percebeu que são as três linhas da CP no centro da cidade, mas a cidade vive como se só as outras 4 linhas do Metro existissem. Muitas pessoas nem se apercebe que há ali um excelente transporte público, especialmente para ir para o Oriente sem ter que ir  "dar a volta" pela linha vermelha.
A razão para esta separação é óbvia: durante décadas os diferentes transportes públicos viveram de costas voltadas sem a mínima integração. O comboio acabava onde não havia metro e vice-versa.
A situação está gradualmente a mudar mas ainda hoje estas 3 linhas existem apenas numa lógica suburbana, isto é não é suposto alguém querer-se movimentar em Lisboa usando-as. Os bilhetes têm preço de deslocamento suburbano longo, o passe não inclui estas linhas (não existe sequer uma opção mais cara que inclua apenas as linhas dentro de Lisboa), os bilhetes não estão integrados com o metro e o autocarro, os mapas do Metro não as incluem apesar de serem um excelente complemento, etc...
O mais estúpido é que a infraestrutura existe!! Os milhões e milhões estão lá, mas não são aproveitados.
publicado por MC às 14:26
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De tiago gonçalves a 24 de Outubro de 2007 às 21:20
Esta situação é completamente ridícula... Este verão visitei Parí. Èuma cidade onde para alem de estar a haver um explosão de bicicletas, tem uma politica de intermodalidade de transportes fantástica. O metro e o comboio urbano estão em completa sintonia, assim como a rede de autocarros. Isso traduz-se numa enorme qualidade de serviços prestado ao cidadão, quer seja pela rapidez das viagens e facilidade de orientação nas infraestruturas de transportes ou na facilidade de utilização de bilhetes conjugados.
De MC a 24 de Outubro de 2007 às 21:34
Paris é um bom exemplo com o seu RER, tal como o S-Bahn de Berlim. São comboios suburbanos que uma pessoa nem se apercebe serem de um sistema diferente, porque estão completamente integrados com o metro...
De Telma Teixeira a 25 de Outubro de 2007 às 12:31
É verdade! Só descobri isso quando passei a vir de comboio para Lisboa. Um dia estava a ler os mapas e para minha surpresa percebi que levaria apenas 20 minutos de Campolide a Oriente, em vez da hora que levava quando ia de metro. Poupar 40 minutos é mesmo muito bom!! Se morasse em Lisboa, só me deslocaria de transportes públicos. As pessoas em Lisboa nem sabem a sorte que têm...
De filhaemãe a 25 de Outubro de 2007 às 14:11
Nós cá no Porto temos o Andante, um bilhete único que nos permite andar de Metro, comboio, e autocarros de quase todas as empresas que circulam na área metropolitana. Tem ainda a vantagem de o bilhete ter a validade de 1 hora, após a primeira validação, podendo as pessoas ir a algum lado e voltar (se for uma deslocação curta) gastando apenas um bilhete, usando durante essa hora o metro, comboio e autocarro se quiserem!
Quantas vezes fui almoçar a casa e voltei na faculdade só com um bilhete! E a modalidade de "passe" mensal é igual... dá para todos os transportes públicos, nas zonas escolhidas!..
Com esta medida conseguiram que muita gente se "convertesse" aos transportes públicos, vendo-se cada vez mais executivos e altos cargos de empresas a utiliza-los, e para quem conhece bem as "gentes" do Porto sabe como são carrodependentes, principalmente o pessoal da "pasta"!
De Lisboeta a 26 de Outubro de 2007 às 08:40
Pois eu faço isso mesmo. Vou de Benfica e utilizo a ligação para a linha de Cintura como a "linha de metro que cruza todas as outras" e que conjugada com o Metro chea-se fácilmente a qualquer ponto da cidade por ele servida. A Baixa também me fica (ficará, quando o túnel reabrir) a 10 minutos de casa. Para poder usar o comboio, tenho de possuir o L1 que chega à Amadora (não me interessa para nada), mas posso andar em tudo o que é transportes públicos. Deveria era haver mais informação ao público, porque eu conheço as manhas do sistema (de acordo com as horas do dia e tipo de dia, a oferta muda muito), mas muitos optam pelo mais óbvio e demoram eternidades.
De MC a 26 de Outubro de 2007 às 11:22
Ora aí está um ponto importante. O sistema está montado de maneira a assumir que toda a gente conhece as suas manhas.. as correspondências, o tipo de bilhetes que existe. Eu lembro-me que há uns anos muitas paragens de autocarro nem tinham o percurso dos autocarros que passavam lá.
O facto de a Carris não mostrar informação sobre o Metro, a CP e os autocarros suburbanos, e vice-versa é mais um exemplo disso, que afasta muito utilizadores. Quer ocasionais, que possíveis utilizadores novos, que utilizadores frequentes que querem necessitam de se deslocar a um sítio diferente.
De noche a 27 de Outubro de 2007 às 11:20
estão a esquecer-se de um pormenor

no comboio dá para ler, dormir, conversar, etc ...e depois, de manhã partir por exemplo de santa Apolónia (que é lindíssima ) e ver o sol baixo e as cores do rio dá outro alento para começar o dia.. etc etc etc etc
De Goncalo a 27 de Outubro de 2007 às 22:00
Até hoje, o melhor sistema de transportes públicos que conheci existe na Holanda. Existem 4 tipos de transporte (autocarro, eléctrico, comboio e metro) mas um titulo de transporte único em todo o país. Ou seja, um dia podemos usar esse título para andar de metro em Amesterdão, para depois poder usar no eléctrico em Haia, por exemplo. Cá para Portugal, não pediria tanto, mas seria bom que existisse um sistema mais integrado de bilhetes e passes ao nível dos diversos transportes públicos na cidade de Lisboa.
De Tárique a 29 de Outubro de 2007 às 14:36
Clap Clap, muito bem lembrado!

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Não podemos estar indifer...

É fisicamente impossível ...

Se o estacionamento não f...

O planeamento urbano cent...

Mais estradas não resolve...

E também não, um carro em...

Não, um carro estacionado...

Até na OMS há preocupaçõe...

Os supermercados que cobr...

Até as multas ao estacion...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(216)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(71)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(58)

espaço público(58)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(33)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006