Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

Exemplos concretos

Muito poucos admitem andar de carro na cidade por comodismo, escondendo-se geralmente por trás da má qualidade dos transportes públicos. Ficam aqui dois casos de pessoas minhas conhecidas.

O percurso diário de X é casa-emprego-ginásio-casa. Todos os percursos são no centro da cidade, e a sua distância média não chega a um quilómetro. X vai de carro.

Y mora à porta da estação de comboio, nem uns 200 metros serão. O emprego é a meio quilómetro, um quilómetro de outra estação da mesma linha, no centro da cidade. Y vai de carro.

X e Y não são deficientes motores, não têm horários irregulares, não fazem deslocações durante o dia, não têm que se preocupar com filhos e nenhum dos percursos é numa zona perigosa. Todos conheceremos muitíssimos casos assim. São milhares e milhares que diariamente tornam a cidade mais desumana. Faz sentido sermos prejudicados pelo comodismos deles?



A propósito o João do Pedalófilo descobriu um enorme elogio aos transportes públicos do Porto escrita por uma irlandesa que os compara com os de Belfast.

We (...) were absolutely astounded at the modernity and efficiency of its public transport system.

The tickets are totally interchangeable.
The trains arrive on the minute, are constant and encompass the whole of the urban and rural outskirts of the city.

Buses (which run on gas so therefore no diesel fumes), trains and trams are equally punctual. What absolute luxury!


Claro que não são perfeitos, mas lá se vai a desculpa do "eu andaria de transportes se fossem bons como no estrangeiro".
publicado por MC às 21:53
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De Hugo Jorge a 23 de Outubro de 2007 às 10:46
Portugal nunca será tão mau como imaginamos nem tão bom como gostaríamos

Hugo Jorge
http://pazoriginal.blogspot.com/
De iGreen a 25 de Outubro de 2007 às 14:51
Caro MC,
Li atentamente e concluí que os seus amigos(as) X e Y até são deficientes, mas de inteligência. Porque se colocassem de lado (num potinho, num envelope ou qq outra coisa) o pilim que poupariam em fazer os seus trajectos a pé ou de transportes se calhar ao fim de algum tempo tinham o suficiente para pagar uma qq extravagância que lhes apetecesse.
Pena tenho eu de viver numa cidade pequena onde os tranportes são quase nulos e descobrir os horários e trajectos dos que existem é quase trabalho digno de um detective (dos bons!).
Gostei do seu blog. É muit verde. Continue!
De fr a 27 de Outubro de 2007 às 09:41
O problema é que apenas 1 por cento dos portugueses têm trabalho ao lado de casa, eu não faço parte desse 1 por cento...
De MC a 27 de Outubro de 2007 às 15:22
A pessoa Y mora a 15km...
De Tárique a 29 de Outubro de 2007 às 14:40
É mesmo engraçado que o senhor X vá ao ginásio todos os dias para compensar o estilo de vida sedentário!!!

E o que faz ele lá? Pedala numa bicicleta fixa? :D :D :D

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Comércio local cresce

Ferrovia vs Rodovia em Po...

Dieselgate, só por si, ca...

Emissões da rodovia aumen...

Emissões CO2 de baterias ...

Santos Populares vs Carro...

Documentário de 1973 da R...

Acabou a maior vergonha n...

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(68)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006