Segunda-feira, 20 de Agosto de 2007

Presidente de Junta pelo encerramento ao trânsito dos bairros históricos

Texto publicado hoje no Público-Lisboa

Saúdo a possibilidade de fechar mais bairros ao tráfego mencionada no programa eleitoral sufragado no passado dia 15 de Julho. Não consigo compreender os cartazes afixados em alguns estabelecimentos da Rua dos Remédios, neste bairro, nos quais se pode ler: " A EMEL está a matar Alfama." A principal razão para a eventual redução do comércio no bairro é a sua inadaptação à realidade do turismo dos nossos dias. O condicionamento do trânsito constituí uma oportunidade para incrementar o comércio - sendo para isso necessário modernizar, divulgar a marca "Alfama" e adaptar-se aos clientes que antes chegavam de carro e que chegam hoje a pé. E nunca estagnar!
Destaco o caso do Bairro Alto, onde o condicionamento do trânsito permitiu acentuar a marca deste local como o bairro nocturno por excelência de Lisboa (o que é, no entanto, tão nefasto para a qualidade de vida de quem lá mora). Nas restantes capitais europeias o sistema de condicionamento do trânsito encontra-se complemente consolidado. Não compreendo ainda que a representante dos comerciantes de Alfama, que possui a dupla qualidade de comerciante e moradora considere por um lado, enquanto moradora, que a vida no bairro "se tornou perfeita" e, por outro, destaque a discriminação na entrada no bairro de grande empresas de distribuição - quando todos sabemos tratar-se de realidades diferentes. Hoje em dia não é o cliente que se tem de se aproximar do comerciante, mas o comerciante que tem de se aproximar de cada um dos seus clientes.
Tenho ouvido diversas pessoas dizerem que, caso se voltasse à situação anterior, saíriam do bairro. A vida dos que aqui vivem efectivamente melhorou! Apesar disso, existem melhorias a fazer: na fiscalização, na sinalização, mas acima de tudo na articulação com as juntas de freguesia. São elas que estão mais próximas do cidadãos e que podem ajudar a prestar um melhor serviço. O progressivo condicionamento do trânsito na zona histórica de Lisboa deve ser consolidado e melhorado. Os custos do seu abandono seriam demasiado elevados.

Filipe de Almeida Pontes
(presidente da Junta de Freguesia da Sé)
Lisboa
tags:
publicado por MC às 19:12
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De João Rodrigues a 23 de Agosto de 2007 às 00:55
Acompanho o trabalho deste Presidente há já algum tempo e sei que dispõe de um blog ofical da Junta jfse.blogspot.com e um blog pessoal filipepontes.blogspot.com muito activo. Enfim é um princípio que o poder político se mexa..
De Zé da Burra o Alentejano a 30 de Agosto de 2007 às 15:24
E os transporte para esses bairros históricos? que frequencia? que preço? e até que horas? Algumas zonas deviam ser só para os moradores, cargas, descargas ou quem trabalhe lá. Pessoas de fora devem até perder-se com frequência.

Porque não se pensa num funicular ou elevador pró Castelo de S.Jorge, por exemplo?
De lol a 25 de Outubro de 2007 às 12:03
Mais demagogia de uma tipo que usa grandes carrões.
O utilizador prévio tem razão, carro = democratização. Usem as bicicletas enquanto os ricos e poderosos usam o carro. ;) Sejam "amigos" do ambiente para eles vos explorarem um pouco mais. Se todos usarem bicicletas, começam os impostos sobre utilização de bicicleta. Acordem para a vida!
O segredo está nas energias renováveis e mais tecnologia e não na idiotice pegada.

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Comércio local cresce

Ferrovia vs Rodovia em Po...

Dieselgate, só por si, ca...

Emissões da rodovia aumen...

Emissões CO2 de baterias ...

Santos Populares vs Carro...

Documentário de 1973 da R...

Acabou a maior vergonha n...

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(68)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006