Segunda-feira, 23 de Julho de 2007

Automóveis e Espaços Verdes

É comum ouvir dizer que a cidade precisa de mais zonas verdes, mais parques, mais árvores.

Uma das razões que leva ao condicionamento no número e qualidade dos parques existentes é precisamente a necessidade de vias e parques de estacionamento para os automóveis.

Lembro-me, por exemplo, do parque de estacionamento entra a Cantina da Cidade Universitária e o Hospital Santa Maria, construído durante a presidência de Santa Lopes na CML, ser a continuação do parque do estádio Universitário e uma zona de qualidade para desporto e Lazer.

A necessidade de parques de estacionamento aumenta sempre que alguém opta por usar um automóvel em detrimento de qualquer outro meio de transporte. É verdade que o estacionamento caótico que existia anteriormente naquela zona terá diminuído, no entanto, não teria a cidade maior qualidade de vida se simplesmente estudantes, professores, médicos, visitantes e demais cidadãos optassem  por transportes públicos, ou modos suaves de deslocação (bicicleta e a pé)?

Esta foto sugere uma hipótese para integrar os automóveis nos espaços verdes... :P


publicado por António C. às 00:45
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De MC a 23 de Julho de 2007 às 10:35
Convém acrescentar que esse parque de estacionamento era um pequeno PINHAL pertencente ao complexo do Estado Universitário, onde todos os dias havia gente a fazer jogging. Agora a cantina dá para um parque de estacionamento, e há uma enorme área aberta quase sem árvores.
E já agora, o estacionamento caótico só acabou por melhorar quando foram instalados pilaretes nos passeios! (Para quê usar o parque de estacionamento, se havia o passeio?) Lembro-me que era literalmente impossível chegar ao Hospital a pé pelo passeio!! Mas como todos sabemos doentes, idosos, deficientes motores, etc... é coisa que não há num hospital.
Na altura escrevi uma carta à direcção da EUL escandalizado por um ESTÁDIO ter optado por converter um espaço de desporto e lazer num estacionamento, indo contra tudo o que um complexo desportivo público deve ser. A direcção julgou (ou quis julgar) que eu estava apenas a questionar a legitimidade legal de tal decisão...
De António C. a 23 de Julho de 2007 às 11:20
Referi este caso apenas como um exemplo... de facto o que eu queria salientar é que é, nas nossas atitudes, que a pressão para construir mais vias e parques de estacionamento se reflecte.

Ou seja, não havendo procura suficiente, nunca o parque teria sido construído, pois não existiria necessidade.

Os decisores, neste caso a gestão do estádio Universitário e a Câmara Municipal cederam a uma pressão do automóvel na zona envolvente construindo um parque e matando um pinhal por completo. Eu acredito que também passa por cada um de nós a responsabilidade de ter uma melhor cidade e não culpabilizar sempre os políticos e outras fontes de decisão... se não existir procura, não haverá oferta.
De MC a 23 de Julho de 2007 às 12:55
Claro, eu percebi.
Só queria explicar a triste história do exemplo que deste.

Por acaso ainda agora estava a pensar nessa divisão da responsabilidade indivíduos/autoridades em termos de questões ambientais e urbanas. De facto o mais fácil é culpar as autoridades por haver poluição, falta de transportes públicos, sem nos consciencializarmo-nos da nossa quota parte.
De Anónimo a 24 de Julho de 2007 às 21:47
Quando vão ser divulgados os números de utilizadores das ciclovias de lisboa?

Gostava que este blog analisasse os custos para os lisboetas em relaçao com as pessoas que as utilizam realmente

Nao tenho duvidas que os resultados seriam um tanto ou quanto desiquelibrados para o vosso lado

MST
De MC a 24 de Julho de 2007 às 23:38
Caro MST,

não percebi o seu comentário.
Alguém falou em ciclovias?
Desequilibrados, como?

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006