Terça-feira, 10 de Julho de 2007

As crianças, a mobilidade, os plasmas e as sensações naturais.

Olá a todos os leitores.

Sou o António Cruz e escrevo pela primeira vez para o menos1carro.
Aceitei, com prazer, o convite do Miguel para escrever neste Blog, e quero deixar desde já uma palavra de apreço por todo o seu empenho na construção e manutenção deste blog até ao momento.

Gostaria de me apresentar dizendo que sou um utilizador regular da bicicleta como meio de transporte, vivo em Lisboa, e que desde há um tempo para cá as questões da mobilidade e vida nas cidades me tem deixado cada vez mais irrequieto e inconformado. Também uso carro, mas a nível excepcional e quando esgotadas outras alternativas.

Feitas as apresentações, gostaria de iniciar a minha participação com duas fotografias que ilustram a diferença que duas crianças, vivendo em sítios diferentes têm, na sua vida diária a nível sensorial.






Na primeira foto, usufruem do que "o melhor da tecnologia de ponta tem para dar". Provavelmente podem até colocar uns fones de modo a não incomodar quem está a conduzir.

Na segunda foto, a crianças tem sensações que vão para além das imagens, uma realidade 3D, sensações de cheiros, podem gozar o calor do sol, o incómodo da chuva, maior sensação de velocidade, maior oxigenação do cérebro não estando sujeita ao ar condicionado, mas sim ao vento e com certeza maior diversão e emoção.

Em Portugal, o primeiro exemplo está-se a tornar comum. Contribuirá isto para um atrofio de uma geração futura?

publicado por António C. às 16:42

editado por MC às 17:53
link do post | comentar | favorito
12 comentários:
De Hugo Jorge a 10 de Julho de 2007 às 19:28
Bem vindo António!
De Anónimo a 11 de Julho de 2007 às 04:21
boa prosa, totalmente de acordo
De Sílvia de S.Botelho a 11 de Julho de 2007 às 11:31
Ora aí estão dois bons exemplos de extremos. Eu acho que o atrofio de uma geração futura não vai ser o resultado da televisão no carro. São precisos muitos anos para que uma geração de repente seja atrofiada não acham? Antes desses tais anos passarem não há é ar para se respirar, a comida foi toda alterada geneticamente, morreram todas as abelhas (as abelhas estão a ser envenenadas por flores geneticamente alteradas que produzem pólen venenoso), consequentemente não há reprodução entre as plantas, nem gerações para ninguém! É a primeira vez que leio este blog e realmente alguma coisa tem que mudar ----- Vamos todos andar de bicicleta?
Boas pedaladas, Sílvia Botelho
De Zé da Burra o Alentejano a 18 de Julho de 2007 às 14:07
Vamos pois todos andar de bicicleta. Mas não esqueça que Portugal é um país acidentado (em especial a norte do Tejo e Lisboa é a cidade das sete colinas.
Eu como sou fraquinho posso pedalar pra baixo ou a direito, mas pra cima, quem pedala pra mim? é você seu "blogista"?
Zé da Burra o Alentejano
De sonia a 11 de Julho de 2007 às 18:19
eu vivo na holanda e a imagem que mais conheco e a de baixo. quando venho a portugal e me vejo obrigada a andar de carro com os miudos e um martirio e depois de uma semana so desejo ir embora. ha muito pouca falta de civismo neste pais a comecar na maneira como se conduz. hoje (estamos de ferias em lisboa) ia na 2 circular e por causa dos radares todos iam a 80, isto sim... dizia... isto e que e um portugal moderno e civilizado, nao sao os telemoveis por habitante, ou os computadores ou os quilometros de autoestrada.

no outro dia a falar com uns amigos, mostravam-me babados as beneses de um leitor de dvd no carro e como aquilo embalava o filho de cinco meses e eu a pensar, ai jesus, ninguem lhes disse que a televisao para os bebes e a velocidade das imagens e do pior, que as suas cabecinhas nao estao preparadas para tanta informacao e berraria, enfim... quem sou eu.

so posso dizer que sorte a minha de os meus filhos poderem crescer a baixas velociades num pais cheio de vacas e bicicletas!

bem haja!

De Zé da Burra o Alentejano a 18 de Julho de 2007 às 14:26
- BICICLETAS:
Há uma diferença também muito notória entre Portugal e a Holanda: a sua orografia. A Holanda é um país plano e Portugal é o que você bem sabe, por via disso não chega criarem-se vias próprias para as bicicletas, como há na Holanda, para que passemos a andar todos de bicicleta ;
-CIVISMO:
Os portugueses como os holandeses são feitos da mesma matéria, tão pouco os portugueses a mudam quando vão para a Holanda. Seria talvez bom que procurasse outros motivos para a nossa falta de civismo. Este país está cada vez pior nesse aspecto: a corrupção grassa por todo o lado e nem sequer é mal vista, porque nos está a ser subtilmente induzida diariamente a mensagem de que NA NATUREZA VENCE O MAIS FORTE. AO MAIS FRACO ESTÁ DESTINADO A SUA SUBORDINAÇÃO OU EXTINÇÃO. AQUI NÃO CABEM COMPLEXOS DE CÍVISMO.
Já que está na Holanda, tem sorte de ter conseguido sair de cá, então tenha cuidado enquanto por cá andar a matar saudades porque o pacato país que conhecia já não existe. ISTO AGORA É A SELVA E NA SELVA NÃO HÁ REGRAS DE CÍVISMO!

Zé da Burra o Alentejano
De Anónimo a 11 de Julho de 2007 às 18:53
Imagino que os plasmas sejam muito úteis para viagens grandes. Convenhamos que não é nada estimulante para uma criança a paisagem da A1 a 140km/h e todos sabemos como irrita um puto entediado.

E não, não se pode ir de férias para o Algarve (subsituir por destino mais ecologicamente correcto) numa 'bicicleta de caixa aberta'


De anonimo a 14 de Julho de 2007 às 22:04
Lamento mas está enganado. Já fui de bicicleta e foi bem bom :)
De Pedro Sá a 13 de Julho de 2007 às 09:10
Se ir a 80 à hora é civilização vou ali e já venho. Os limites de velocidade (excepto o urbano, e a 2ª Circular é uma auto-estrada, para o bem e para o mal) estão completamente ultrapassados, anacrónicos.
De osvaldolucas a 13 de Julho de 2007 às 11:55
A 2ª Circular não tem cruzamentos, mas os entroncamentos não têm a qualidade que se pode observar numa autoestrada "normal". E são muito próximos.
Os engarrafamentos/atrasos/acidentes são comuns.

Os riscos de andar a 120 ou a 80 num percurso que se estime de alguns quilómetros não justificará o ganho (eventual) de alguns poucos minutos.
E poupa gasolina...

De Eduardo MaioE só um a 17 de Julho de 2007 às 02:28
O mundo está a mudar, antigamente os miúdos iam em pé no banco de trás a dizer adeus ao carro que vinha atrás, os carros não tinham catalisadores, a gasolina tinha (e ainda tem mais vai mudar) um alto teor de enxofre e tinha chumbo, os carros a gasóleo emitiam muitas particulas (ainda emitem), os carros eram a carburador e auto-estrada era uma coisa que só existia para ir até ao Porto e só tinha duas faixas...

Agora temos carros com injecção directa, catalisadores, filtros de partículas, começa-se a desenvolver o uso de carros a hidrogénio com recurso à célula de combustível, os miúdos são obrigados a ir amarrados com cadeirinhas isofix bem caras, deixamos de ter paisagem para termos auto-estradas que permitem ter um fluxo de tráfego superior e mais rápido o que reduz as emissões e para não incomodar ninguém fazemos essas auto-estradas longe das localidades, com muitas árvores à volta para ajudar a capturar o CO2 e evitar o ruído para a vizinhança...

Quero com isto mostrar que por andarmos mais devagar não estamos propriamente a melhorar o ambiente, a nossa segurança ou a nossa saúde e no entanto a desgraçada da industria automóvel que se fartou de evoluir para reduzir o seu impacto ambiental nos últimos 20 anos continua a ser a culpada por todos os males do mundo quando existem indústrias que estão no limite das suas emissões de CO2 e nada fazem para as reduzir, e não nos podemos esquecer do NOx, HC...

E os miúdos coitados "atrofiados" já ficam eles de irem amarrados a uma cadeirinha, ao menos vão confortávelmente a ver um filme ou a jogar um jogo, é qualidade de vida, na minha opinião é preferivel e estimula mais o cérebro de uma criança do que ir ou a ver árvores sem fim ou carros parados num transito caótico.

E só uma correcção, não são plasmas são LCD's ;)
De Mário a 18 de Julho de 2007 às 01:49
Excelente post António!

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006