Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2013

Distrações

Hoje de manhã, ao atravessar uma rua, por muito pouco não fui atropelado por um automobilista. Eu ia a pé e tinha verde, ele que virava tinha um amarelo intermitente... mas "distraiu-se". Nem pediu desculpa. Eu já contava com a "distração", mas se não contasse poderia ter ido desta para melhor. Por "distração" do automobilista.
Na situação inversa, se um peão "distraído" atravessar quando está verde para o automobilista, também é o peão que vai desta para melhor.


Não querer perceber esta assimetria, e pôr em pé de igualdade as "distrações" de uns e outros, é criminoso.


Repito aqui uma imagem antiga.Um peão, que apesar de ter verde, pára, olha para verificar que não vem nenhum automóvel, e só depois avança. Basta passar uns segundos num cruzamento para ver peões a ter este comportamento. Poderíamos passar anos no mesmo cruzamento, e não veríamos um automobilista perante um verde a parar, verificar que não vêm peões, e a avançar depois. Apontar o dedo à "distração" dos peões como causa de atropelamentos é criminoso.



...........................................................................................

Vídeo recomendado de hoje,um vídeo do Passeio Livre sobre O automóvel sagrado e o estacionamento ilegal.




publicado por MC às 10:54
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De Patricia a 25 de Fevereiro de 2013 às 15:53
Acho particularmente perigosas essas passadeiras em que o carro tem sempre o sinal intermitente. Imaginando que um peão mete o pé na passadeira e está verde mas quando vai a meio muda para vermelho. Já vi carros a apitarem e reclamarem com o peão nestas situações e em caso de atropelamento não há forma de se provar que o peão atravessou com o sinal correcto.

Em Roma Areeiro há uma passadeira particularmente perigosa (ainda vou reclamar para a CML) porque é impossível atravessa-la de uma ponta à outra com o sinal verde e há imensos idosos a viver naquela zona que atravessam devagar e não dão conta quando o sinal muda (já houve inclusive ali atropelamentos mortais).

Além disso, normalmente esses sinais são colocados quando o carro vem de uma curva. A ideia em teoria é boa (porque supõe-se que o condutor reduziu), mas a realidade é outra e já tive carros a aparecem-me pelas costas e que me pregaram sustos do caraças, porque não os podia ter visto a não ser que me virasse para trás. É que depois de ter levado com um carro já pouco importa se eu tinha razão ou não.
De Pedro Fonseca a 25 de Fevereiro de 2013 às 16:41
Há uns três anos em Madrid, reparei que nestas mesmas situações não há "sinal amarelo" para os automóveis, assinalando a passagem dos peões. O sinal, para os automóveis que cortavam para a transversal era mesmo vermelho.

Ou seja, primeiro tinham um verde para avançar na sua via, mas como na via para onde cortavam havia uma passadeira com verde ligado para peões, tinham um novo sinal, desta vez a vermelho. Ou seja, um sinal igual ao nosso, mas vermelho em vez de amarelo: proibido passar, porque está verde para peões.

A isto chama-se não brincar às distracções.
De MC a 25 de Fevereiro de 2013 às 17:19
Pedro,
é pior ainda!! É que mesmo dentro das opções do amarelo intermitente as regras mandam que primeiro acenda o verde, e só depois o amarelo para os automóveis. Em Lisboa faz-se o contrário:

http://menos1carro.blogs.sapo.pt/141638.html
De Pedro a 29 de Março de 2013 às 21:00
Apontar sistematicamente o automobilista como culpado dos atropelamentos também é criminoso!
Basta ficar junto a uma passadeira e apreciar a quantidade de peões que faz da passadeira uma continuação do passeio, que não pára ou olha antes de se atirar para a via, venha carro ou não.
Palavra que gostava de ver a diferença comportamental que quem escreve estas pérolas tem quando se senta ao volante de um automóvel...
De MC a 15 de Abril de 2013 às 17:11
Como nunca apontei o automobilista como o único culpado, não posso responder por quem o faça.
O que digo repetidamente, é que a relação de força em causa é tão díspar, que é um absurdo querer analisar o comportamento do peão (que é sempre a vítima, seja dos seus erros ou dos erros dos outros), com a da pessoa que conduz uma tonelada e meia a 60km/h pela cidade.
Quanto ao comportamento de quem escreves "estas pérolas" terá de perguntar a quem escrever as pérolas. O meu é igual ao dos condutores nos países do Norte da Europa, onde a culpa num atropelamento é SEMPRE atribuído à partida ao condutor, ou seja conduzir sou eu que ando com uma arma na mão e tenho que ter cuidado com ela.

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Se o estacionamento não f...

O planeamento urbano cent...

Mais estradas não resolve...

E também não, um carro em...

Não, um carro estacionado...

Até na OMS há preocupaçõe...

Os supermercados que cobr...

Até as multas ao estacion...

Comércio local cresce

Ferrovia vs Rodovia em Po...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(214)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(71)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(58)

espaço público(58)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(33)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006