Segunda-feira, 7 de Novembro de 2011

ADORO greves dos transportes

Os transportes públicos de Lisboa e Porto, e todo o serviço nacional da CP, vão estar em greve em grande parte do dia de amanhã.

Sou das poucas pessoas no país que gosta destes dias: nada melhor que um dia sem transportes públicos, e portanto com um trânsito infernal, para mostrar como seriam as nossas cidades se fossemos ainda mais brandos com o automóvel.

Quem defende mais estacionamento ou estacionamento mais barato, combustíveis mais baratos, auto-estradas urbanas sem portagens, mais espaço e mais infra-estruturas (túneis, pontes e AEs) para a circulação automóvel, etc.; quem critica a diferenciação positiva entre transportes públicos e automóvel, o apoio aos meios de transporte suaves (peão e bicicleta), os investimentos públicos em infra-estruturas de transportes, as faixas BUS, as ruas cortadas ao automóvel, etc. está no fundo a propor-nos que o dia de amanhã não seja a excepção, mas a regra.

 

 

 

....................................................................

A recomendação de hoje é um post do Lisbon Cycle Chic que dá esperança no futuro, fotos de uma escola de Lisboa:

publicado por MC às 13:32
link do post | comentar | favorito
8 comentários:
De TMC a 7 de Novembro de 2011 às 13:43
A crítica é boa mas deveria estender-se a toda a cultura da comunicação social cujos jornalistas e comentadores de generalidades facilitam a disseminação da perspectiva auto-cêntrica (com algumas excepções).

Não há sequer o menor pudor dos comentadores em assumirem a sua ignorância em assuntos que não dominam.
De Patricia a 7 de Novembro de 2011 às 14:22
É muito bonito pensar assim, mas na realidade, as greves de transportes prejudicam principalmente quem anda efectivamente de transportes, como é o meu caso, que já pensei arranjar um carro porque estou farta de estar dependente das constantes birras da CP para vir trabalhar.
De CAV a 7 de Novembro de 2011 às 15:26
Concordo, quem anda de carro vai continuar a fazê-lo e quem anda de transportes vai começar a pensar duas vezes. Estas greves apenas servem para desmotivar quem anda de transportes e acabam por não darem em nada.
Se querem que dê em alguma coisa, em vez de greve que tal por exemplo colocarem os autocarros a tapar vias de entrada da cidade ou entupir as ruas das cidades com elétricos e autocarros? Isso sim passaria uma mensagem.
Assim, é uma perda de tempo.
De Ze To a 7 de Novembro de 2011 às 18:27
De facto as greves da CP e do Metro de Lisboa aliadas à intenção de reduzir nos transportes públicos vai fazer com que mais portugueses (principalmente os que moram na zona de Lisboa) andem mais de carro. Os planos do governo são para cortar carreiras, fechar o ML mais cedo e para reduzir serviços na CP. Não vejo ninguém dizer que o sentido deveria ser o inverso, isto é, criar parques periféricos e incentivar o uso do transporte público.
De Yôga Amadora - Método deRose a 7 de Novembro de 2011 às 19:23
Eu uso a minha Bike regularmente. Se houvesse uma outra cultura, poderia usar todos os dias. Era simples... colocar varios locais de estacionamento pelas cidades e serem mais ou menos vigiadas.
Abraços e parabéns pela Postagem :-)
De Goncalo a 8 de Novembro de 2011 às 20:08
Olhe que eu não gosto nada.
Ando diariamente de autocarro e para fazer um percurso que demoro 35min, demorei hoje 1h20min... parece-me relevante.
De rtype a 9 de Novembro de 2011 às 15:12
Não te sabia adepto da teoria do "quanto pior, melhor, que é para as pessoas abrirem os olhos".

Aplica-la a outros contextos ? Se sim temos que te convidar para o spectrum :-)
De MC a 9 de Novembro de 2011 às 16:03
:)

Neste caso é um "quanto pior, melhor" muito especial. Liga-se, dura 24h, desliga-se e tudo volta ao normal.

Infelizmente não podemos dizer o mesmo de muitas outras coisas, como ter o governo mais liberal de sempre em Portugal. Nem dura 24h, nem voltará tudo ao mesmo

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006