Quarta-feira, 4 de Maio de 2011

Duas histórias do Portugal carro-dependente

1. Uma amiga estrangeira a visitar Lisboa, ficou numa casa de uma colega, que mora a "10 minutos a pé do Colombo" (para quem não sabe, o Colombo tem uma estação de metro). O facto de a colega portuguesa trabalhar no Saldanha, a apenas 5+1 estações de metro de distância, e usar exclusivamente o carro, já deixava adivinhar o que vinha.

Pouco depois de combinar um café na Baixa, ela volta a ligar aflita a perguntar se eu tinha carro. Não tendo eu carro, ela não poderia ir ter à Baixa por falta de tempo. É que a portuguesa carro-dependente lhe garantiu que de Benfica à Baixa era uma hora de transportes públicos! (São 10 paragens de metro, na mesma linha, 14 minutos segundo o Google Maps).

É impressionante como tanta gente faz um esforço intelectual para se convencer que o automóvel é a única alternativa.

 

2. Uma leitora conta que ao comprar um telemóvel, perguntou a opinião ao vendedor. O vendedor disse-lhe que muita gente se queixava dos telemóveis com ecrã tátil em vez de teclado, porque demoravam mais tempo a escrever mensagens quando guiavam.........

 

......................................................................

O A Nossa Terrinha conta mais uma história do Portugal carro-dependente, de carros que ganham vida.

publicado por MC às 14:25
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De CAV a 5 de Maio de 2011 às 10:02
Uma hora demoro eu de Carcavelos a Entrecampos (comboio+metro), contando ainda com parte do percurso que faço de bicicleta e outra a pé.
É o que eu digo, o monóxido de carbono limita o raciocínio de quem anda de carro....
De Catarina G. a 10 de Maio de 2011 às 10:48
Uma forma de combater esta ideia de que as pessoas se deslocam mais rapidamente de carro do que de transportes, seria atraves de uma campanha publicitaria que mostrasse comparacoes dos tempos de deslocacao carro vs. transportes publicos. E com umas caras conhecidas que dessem a cara a dizer que preferem os transportes publicos!
De MC a 10 de Maio de 2011 às 16:13
Catarina,
a MUBi (mubi.pt) está a organizar algo nesse estilo. Será apenas um percurso, mas terá vários meios de transporte. Não é suposto ser algo científico, mas algo "e-mediático" com um videozinhos para espalhar na net. Se quiseres participar, podes contactar-nos menos1carro (arroba) sapo.pt, que eu reencaminho.
Já fizemos um ensaio geral, partindo da zona de Benfica por acaso. Foi num domingo (menos transportes e menos trânsito), e tendo sido eu a cobaia do autocarro, cheguei apenas 1 minuto depois do carro (que teve que estacionar) ao destino.

Também estou a fazer a um nível pessoal, a mesma recolha, com carro e bicicleta. São várias experiências, para o mesmo percurso. Espero publicar em breve.
De P a 27 de Maio de 2011 às 18:06
Concordo, mas ver a tromba da humanidade nos transportes públicos, mais a sua má vontade, (ou a incapacidade de mtºs portugueses para respeitar o próximo), é tão desagradável que é difícil resistir à solidão proporcionada pelo automóvel. A menos que botem quantidades industriais de prozac na água pública. Eu, em transportes públicos, só com químicos mais fortes - alguma coisa que me anestesie - o prozac é muito fraquinho.

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Não podemos estar indifer...

É fisicamente impossível ...

Se o estacionamento não f...

O planeamento urbano cent...

Mais estradas não resolve...

E também não, um carro em...

Não, um carro estacionado...

Até na OMS há preocupaçõe...

Os supermercados que cobr...

Até as multas ao estacion...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(216)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(71)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(58)

espaço público(58)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(33)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006