Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2010

Sedentarismo

Em conversa com um amigo, cheguei à conclusão de que tal como é possível inferir a quantidade excessiva  de ingestão de alimentos  de alguém a partir da sua obesidade, também deveremos ser capazes de inferir a ineficiência energética de um sistema de transportes de uma sociedade observando o quão depende ela do uso do automóvel particular.

 

Ambas as patologias baseiam-se numa excessiva ingestão de energia (em calorias ou litros de combustível) para lá dos níveis necessários ao funcionamento saudável do corpo ou do sistema de transportes. Os comilões ou os automobilistas intransigentes podem admitir que têm um problema mas que não há nada que possam fazer para mudá-lo; ou admitir que são como são devido a uma escolha individual que deve ser repeitada e que não prejudicam ninguém com essa escolha. Terão razão?

 

É paradoxal que o nível de sedentarismo de uma sociedade esteja então relacionada com o grau de mobilidade que ela julga ter através do automóvel. A não ser que queiramos defender a opção individual a ser sedentário como legítima, devemos reconhecer que estamos a ficar cada vez mais...sedentários. Tal como o vejo, tornarmo-nos mais sedentários é uma inevitabilidade do mundo moderno, mas importa traçar limites; seja qual for a tarefa em que uma dada máquina tenha substítuido o que antes poderíamos fazer com o nosso trabalho, ficar sedentário é ficar dependente, perdendo autonomia e poder e entregando-os aos fabricantes dessas máquinas. Podemos escolher ficar dependentes, mas não deveríamos ser obrigados a fazê-lo.

 

Outra medida correlacionada com os níveis de sedentarismo pode assim ser o número de pessoas que ainda pode andar a pé ou de bicicleta (a bicicleta é a máquina mais "natural" que conheço) para satisfazer as suas necessidades pessoais de trabalho e lazer. Com a quantidade de passeios ocupados e esburacados, estradas inseguras e de tráfego intenso, a presença do automóvel assemelha-se cada vez mais a uma imposição, à escolha de uma minoria poder transformar-se em regra para todos.

publicado por TMC às 22:17
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Mario a 22 de Dezembro de 2010 às 02:11
West illustrates the problem by translating human life into watts. “A human being at rest runs on 90 watts,” he says. “That’s how much power you need just to lie down. And if you’re a hunter-gatherer and you live in the Amazon, you’ll need about 250 watts. That’s how much energy it takes to run about and find food. So how much energy does our lifestyle [in America] require? Well, when you add up all our calories and then you add up the energy needed to run the computer and the air-conditioner, you get an incredibly large number, somewhere around 11,000 watts. Now you can ask yourself: What kind of animal requires 11,000 watts to live? And what you find is that we have created a lifestyle where we need more watts than a blue whale. We require more energy than the biggest animal that has ever existed. That is why our lifestyle is unsustainable. We can’t have seven billion blue whales on this planet. It’s not even clear that we can afford to have 300 million blue whales.”

http://www.nytimes.com/2010/12/19/magazine/19Urban_West-t.html?_r=2&pagewanted=all
De TMC a 22 de Dezembro de 2010 às 03:00
Olha, o amigo da conversa :)

Obrigado pelo artigo. Já cá tenho o Ivan!

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Ferrovia vs Rodovia em Po...

Dieselgate, só por si, ca...

Emissões da rodovia aumen...

Emissões CO2 de baterias ...

Santos Populares vs Carro...

Documentário de 1973 da R...

Acabou a maior vergonha n...

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(68)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006