Quinta-feira, 12 de Abril de 2007

350 alunos sem autocarro em Bragança

A concessionária dos transportes escolares em Bragança, a antiga RodoNorte e actual Santos, decidiu alterar o horário dos autocarros sem aviso prévio. 350 alunos são agora obrigados a esperar horas pelo próximo autocarro.
Este caso é apenas mais um entre vários de desrespeito das transportadoras privadas pelas suas obrigações sociais. Em Portugal, estas empresas por serem privadas julgam-se com autoridade para decidirem livremente o seu serviço, preocupando-se apenas com a sua rentabilidade e não com as necessidades da população. Contudo as empresas privadas de transporte não são empresas normais. Por não fazer sentido um regime de concorrência entre várias empresas, é que as Câmaras atribuem os transportes a uma empresa só tornando-o a assim num monopólio legal. Enquanto nos outros sectores são proibidos os monopólios, nos transportes urbanos é uma necessidade, e como contrapartida as empresas devem ser obrigadas a prestarem serviços que apesar de pouco rentáveis são fundamentais do ponto de vista social.
Um outro exemplo escandaloso é a Scotturb da zona Cascais, Sintra, Oeiras que aparentemente decide os horários e carreiras a seu belo prazer.
Numa conferência sobre mobilidade sustentável há alguns anos em Lisboa, perguntei na minha santa ignorância ao responsável pelo sistema de transportes de Curitiba (famoso pela sua qualidade e por ser apenas baseado em autocarros privados) como conseguiam ter um serviço tão bom dependendo apenas de privados. O orador um pouco perplexo com a pergunta, respondeu apenas que a Câmara decidia os trajectos e os horários e as transportadoras privadas acatavam a decisão.
Parece simples não parece? Em Portugal, nem por isso...
publicado por MC às 16:53
link do post | comentar | favorito

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006