Segunda-feira, 11 de Outubro de 2010

Conselho

Como aumentar a receita de Estado sem aumentar os impostos?

 

Portajar todas as entradas diárias por auto-estrada e ICs em Lisboa. Justificar com a falha do mercado em incluir as externalidades do uso do automóvel (sinistralidade, poluição atmosférica e sonora, engarrafamentos, manutenção das infra-estruturas) e da refinação de gasolina. De um artigo do Diário Económico de 2009, entram e saem de Lisboa por dia 826 mil carros em movimentos pendulares: mesmo subtraindo os 163 mil da Ponte 25 de Abril, já portajada e cerca de metade do total (217 mil carros) da A5 (portajada até ao pé do Estoril), sobram mais de 550 mil carros. Balizando o custo médio diário das portagens entre 3€ e 8€, a receita andaria entre os 600 milhões e os 1600 milhões. Desvantagens para as contas do Ministério das Finanças: as pessoas começarem a usar os transportes públicos e virem morar para Lisboa. De outro ponto de vista, não parece assim tão desvantajoso.

publicado por TMC às 10:41
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De MC a 11 de Outubro de 2010 às 13:21
Epá, roubaste-me o post que estava a escrever :)
Mas bom, tenho mais medidas para propor.
De TMC a 11 de Outubro de 2010 às 13:48
Ooops :)

Ainda estava para tirar umas dúvidas contigo, nomeadamente porque não há estudos sobre o real valor das externalidades em Portugal e sobre o preço das portagens não reflectir a distância viajada.

Depois ainda há a questão do imposto automóvel que está indexado à emissão do CO2 não ser usado em transportes públicos, mas até em novas infra-estruturas. Assim não adianta nada haver impostos verdes.

De MC a 11 de Outubro de 2010 às 14:25
(o post já estava quase acabado, mas a cópia de segurança do blogs.sapo não é grande coisa.)

externalidades: não há para Portugal e não há para país nenhum. Todos os estudos que vi, são sempre muito parcos em contabilizar as externalidades.. é o CO2, congestionamento e pouco mais.

o IA vai para ao orçamento de estado, ponto final. descontando a taxa sobre os combustíveis que vai para as Estradas de Portugal e outros casos excecionais, os impostos não podem ser canalizados para fins específicos.

ee qualquer modo, o mais importante dos impostos verdes não é o que é feito com eles, mas a sua mera existência! o imposto faz aproximar o preço aos custos reais, incentivando as escolhas mais acertadas.
De Joana a 11 de Outubro de 2010 às 14:21
Era até muito interessante: se fosse viável fazer essa inquirição, o Governo propunha as coisas nestes termos: malta, o que é que preferem? Cortes nos salários, nos benefícios sociais, etc? Ou portagens à entrada de Lisboa e Porto? Eu não acredito que a resposta fosse... bem, não tenho assim tanta certeza...
De Luís Ramos a 11 de Outubro de 2010 às 14:53
Ideia interessante, faz mais sentido taxar as entradas de Lisboa, que é a zona do país melhor servida de transportes, do que colocar portagens nas vias rápidas (ex-IP’s) do interior do país. No Interior do país a alternativa Transportes Públicos é inexistente, aliado ao facto de não ser propriamente fácil encontrar trabalho à porta de casa. Infelizmente o carro acaba por ser uma necessidade.
De MC a 11 de Outubro de 2010 às 15:10
eu percebo que o argumento da falta da alternativa, e da necessidade, seja apelativo, mas isso não o torna num argumento absoluto.

eu preciso de comida para sobreviver (já nem falo do emprego), e não tenho alternativa mesmo nenhuma a isso. contudo ninguém me subsidia (descontando o IVA reduzido em alguns alimentos) a comida. porque hei então de subsidiar eu então quem usa o carro, pagando-lhe as portagens?
De Luís Ramos a 11 de Outubro de 2010 às 19:03
Porque razão tenho que subsidiar os transportes públicos de Lisboa e Porto com os meus impostos? Porque razão tenho que pagar o Passe Social destas duas cidades, quando o rendimento per capita é superior ao do restante país?
De MC a 13 de Novembro de 2010 às 23:53
Isso também gostava eu de saber!
Já o disse, por mim os transportes de Lisboa e Porto não seriam tão subsidiados - e os subsídios seriam pagos por portagens, parquímetros, etc. cobrados em Lisboa e Porto.
De Miguel Brito a 13 de Novembro de 2010 às 22:53
Já agora: portajar todas as entradas nocturnas pedonais das zonas de bares, como Docas, Bairro Alto. Justificar com a necessidade de taxar usos extras e supérfluos do espaço público, bem como da despesa inerente à limpeza dos resíduos deixados, recolha de garrafas abandonadas, e remoção de graffittis.

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006