Quinta-feira, 4 de Fevereiro de 2010

Sinistralidade rodoviária Janeiro 2010 #3

Entre 22 e 31 de Janeiro de 2010 morreram 28 pessoas nas estradas portuguesas do continente.

Em Janeiro de 2010 morreram 64  pessoas nas estradas portuguesas. Para o mesmo período de 2008 e 2009, houve 51 e 61 vítimas, respectivamente.

 

Os distritos do Porto e de Braga foram os mais fustigados.

 

Respostas?

 

 

publicado por TMC às 10:51
link do post | comentar | favorito
16 comentários:
De Joana a 4 de Fevereiro de 2010 às 11:55
Uma campanha que talvez chocasse e pudesse ter alguma eficácia seria esta, baseada nas estatísticas/média diária:

"hoje vão morrer x pessoas nas estradas portuguesas e x pessoas vão ficar gravemente feridas e algumas delas serão atiradas para uma cadeira de rodas o resto da vida. Se não quiser ser a próxima vítima, conduza com cuidado".
De Miguel a 4 de Fevereiro de 2010 às 12:04
Nas auto-estradas, já vi várias vezes coisas desse tipo anunciadas naqueles placards electrónicos. Tipo «agosto 2008, 90 vítimas, 3 por dia, não seja a próxima» (os números são inventados).
Relacionado com a sinistralidade, lembrei-me agora de uma coisa: algures em 2005 ou 2006, houve um dia que a GNR/BT fez um comunicado porque pela primeira vez nas estradas que fiscalizava não tinha morrido ninguém durante um dia completo. Felizmente (porque já são muitos) hoje em dia um dia sem vítimas já não é notícia.
De CM a 4 de Fevereiro de 2010 às 19:07
Talvez mais assim:
"Com base em estatísticas, prevê-se que hoje vão morrer x pessoas nas estradas portuguesas e x pessoas vão ficar gravemente feridas e algumas delas serão atiradas para uma cadeira de rodas o resto da vida. Se não quiser ser a próxima vítima, conduza com cuidado. Vença as probabilidades!"

Fica menos fatal, mas mais correcto, acho.
De PJ a 5 de Fevereiro de 2010 às 22:22
viva,

talvez esteja errado, mas há uma lógica que nao entendo. para mim, estas estatisticas dizem uma coisa: conduzir mata. morre-se disso, como de uma doenca A ou acontecimento B. e o remédio para isso parece-me simplesmente nao conduzir. por isso acho q esta é a conclusao a tirar de qualquer análise dos dados, a conclusao a meter em qualquer slogan de prevencao.

<> parece-me uma actividade bastante dificil de atingir. afinal de contas, isto do cuidado é muito subjectivo e acima de tudo muito enganador. diria mesmo que ninguém sabe conduzir com cuidado, no entanto, o que mais se houve por aí é o <>.
De PJ a 5 de Fevereiro de 2010 às 22:24
(correccao do post anterior)

''conduzir com cuidado'' parece-me uma actividade bastante dificil de atingir. afinal de contas, isto do cuidado é muito subjectivo e acima de tudo muito enganador. diria mesmo que ninguém sabe conduzir com cuidado, no entanto, o que mais se houve por aí é o ''sei muito bem o q estou a fazer''.
De TMC a 6 de Fevereiro de 2010 às 04:02
PJ, é mais ou menos isso que concluo nesta posta > http://menos1carro.blogs.sapo.pt/201476.html

Conduzir é, de facto, sujeitarmo-nos a sermos vítimas de um acidente, tanto como fumar um cigarro nunca é letal senão por repetição do hábito. Só que isso não é reflectido nem pela publicidade automóvel, ao contrário dos alertas tabagistas, nem pelos que permitem a entrada incólume dos automóveis nas cidades. Seria preciso uma autêntica campanha publicitária não só contra a sinistralidade automóvel mas também para com os seus efeitos para o espaço público em geral.
De Antonio Patriçio a 24 de Janeiro de 2011 às 16:57
A VERDADE NUA E CRUA É O DRAMA DA SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA EM PORTUGAL .
para saberem algumas verdades visitem
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

A VERDADE NUA E CRUA É O DRAMA DA SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA EM PORTUGAL . <BR>para saberem algumas verdades visitem <BR class=incorrect <a name="incorrect">odramadasinistralidaderodoviaria.blogspot.com</A> </A><BR>respeitosos cumprimentos <BR class=incorrect <a name="incorrect">Antonio</A> </A>Patriçio
De Pedro a 4 de Fevereiro de 2010 às 23:59
Miguel lembro me desse dia sem mortos, foi poucos dias depois de ter morrido aquele jovem dos morangos com acucar.
De Marta Sul a 5 de Fevereiro de 2010 às 15:51
Excelente blog, por um melhor ambiente e uma mobilidade sutentável! deixem os carros em casa e comprem bicicletas, que h+a muita gente a deixá-las enferrujar me casa.. :D

http://www.custojusto.pt/Portugal/bicicletas?ks=&th=1&w=3

De Miguel a 5 de Fevereiro de 2010 às 16:11
E agora para algo totalmente diferente (mas relacionado com o blogue).
Investimento nos transportes em Espanha, por tipo de transporte (ferrovia, rodovia, portos e aeroportos):

http://farm5.static.flickr.com/4006/4330509808_8a1a04ffb6_b.jpg
De ze miguel a 5 de Fevereiro de 2010 às 16:29
eu sei que é preferível em tempo real, mas aqui tens a comparação com os outros países da OCDE. um honroso penúltimo lugar...

http://dx.doi.org/10.1787/717527613871
De MC a 26 de Fevereiro de 2010 às 14:41
Interessante a variação 1970-2006.
Apesar da indesmentível melhoria dos últimos 10,15 anos em Portugal, a nossa redução no período de 36 é das piorzitas na OCDE.

Para quem não abriu o link:

Holanda -82%
OCDE -56%
Portugal -23%
Grécia +29%
De TMC a 5 de Fevereiro de 2010 às 16:59
Obrigado pelos gráficos. Miguel, no teu só podemos mesmo adivinhar o que são as cores!
De Miguel a 5 de Fevereiro de 2010 às 17:18
Pois é, desculpa não tinha reparado que faltava a legenda...
Azul - ferrovia
Vermelho - rodovia
Verde - aeroportos
Violeta - portos
De Miguel a 5 de Fevereiro de 2010 às 17:25
E só para dar um bocado de contexto, a renovação\modernização da Linha do Norte que «toda» a gente considera ter sido um gasto «excessivo», corresponde mais ou menos ao gastos em ferrovia ali no ano 2000 (só há pequena diferença de os gastos na Linha do Norte ter sido ao longo de 15 anos).
De MC a 26 de Fevereiro de 2010 às 14:37
Rodovia abaixo da ferrovia!!
Agora não me lembro dos valores médios, mas em Portugal a rodovia tem sido à volta de 5x ou 10x a ferrovia, certo?

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006