Quarta-feira, 27 de Dezembro de 2006

Como ultrapassar mais de 100 carros em 5 minutos

publicado por MC às 00:47
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 21 de Dezembro de 2006

Massa Crítica /Bicicletada

bicicletada na av. da repúblicaA Massa Crítica de Dezembro, e por ser Natal, vai excepcionalmente acontecer na penúltima sexta-feira do mês, ou seja amanhã dia 22.

Pontos de encontro habituais:
Lisboa às 18h no Marquês de Pombal.
Porto às 18h30 na Praça dos Leões.
publicado por MC às 10:45
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 20 de Dezembro de 2006

80 km/h de máxima na auto-estrada

80 de máximaO Governo Regional da Catalunha aprovou ontem uma proposta de redução da velocidade máxima de 120 para 80 km/h nas auto-estradas em zonas urbanas para diminuir a poluição em 30%.

O impacto da velocidade nas emissões é uma questão muito pouco conhecida. Todos sabem que a partir dos 60 ou 70km/h se gasta mais combustível com a velocidade, mas este aumento é constante. Com as emissões a história é muito diferente. Passar dos 120 para os 140 pode significar o dobro da poluição. Isto deve-se à incapacidade dos motores de fazer uma combustão correcta do combustível.

Claro que os valores dependem muito do carro, da temperatura, do combustível, etc... mas o fenómeno está lá sempre. A única referência que encontrei foi da Agência de Protecção Ambiental Americana que diz que aumentar a velocidade média do tráfego (em dada situação) de 55 milhas/h (88km/h) para 65 (104km/h) implica um aumento das emissões de 9.6% de NOx (óxidos de azoto), de 55.9% de compostos orgânicos voláteis e de 153% de CO (monóxido de carbono)!

Não é por acaso que o Plano Nacional para as Alterações Climáticas prevê a redução da velocidade média nas auto-estradas portuguesas de 120 para 118km/h (na altura foi hilariante reparar na quantidade de gente que não sabe a diferença entre velocidade máxima e média!!).

publicado por MC às 13:08
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2006

Vereadora da Mobilidade de Lisboa

A Vereadora da Mobilidade de Lisboa, Marina Ferreira, foi ontem entrevistada pelo Público. Ficaram algumas novidades/notícias interessantes para a mobilidade da capital. Destaco três.

- O funcionamento dos semáforos vai ser alterado para beneficiar peões. Esta medida é muito bem-vinda numa cidade onde há várias avenidas onde após uma longuíssima espera os peões não têm sequer o direito de atravessar a rua de uma só vez. Nas Avenidades da Liberdade, da República, Joaquim António de Aguiar, etc... o peão é forçado a esperar por nova oportunidade a meio da travessia (o Francis Obikwelu não conta).
- A EMEL vai ter mais 50 fiscais. Isto é especialmente importante numa altura em que a EMEL vai finalmente ser autorizada - já estava previsto na lei - a autuar todos os automóveis estacionados em local proibido, em segunda fila ou no passeio e não apenas aqueles que não pagaram parquímetro. Acaba assim a incongruência de quem estacionou bem mas não pagou ter uma probabilidade maior de pagar multa do que quem estacionou mal e também não pagou.
- A CML vai continuar a apostar em parques para residentes, o que retira carros das ruas e dá lugar a quem realmente precisa.

Algumas citações menos felizes

- "Às vezes venho de metro mas geralmente chego de carro. Venho de Alvalade. (...) Gosto imenso de andar de transportes públicos. Agora muitas vezes não consigo, como toda a gente." - Toda a gente?! Reparem que a senhora mora num local com Metro e que tanto o edíficio da CML na Baixa como o de Entrecampos têm Metro nas redondezas.
- "Vai", resposta a "O túnel do Marquês vai contribuir para melhorar o trânsito em Lisboa?"
- À pergunta "Defende portagens para aceder ao centro da cidade?", responde: "Não. Esta solução surgiu em Londres quando já estavam esgotados todos os outros mecanismos de controle do tráfego e os engarrafamentos eram brutais."
- "Não conheço bem a Circular das Colinas. (...) Não acho (que a circular seja a espinha dorsal da revitalização da Baixa). Na Baixa há três eixos que é preciso descomprimir: a Rua do Alecrim/Misericórdia, a Rua do Ouro/Prata e a zona ribeirinha." Há que explicar a quem não sabe, como a vereadora, que a circular das colinas é uma velha ideia de facilitar o trânsito em certas avenidas que circundam o centro histórico da cidade para desviar o trânsito que apenas quer atravessar o centro histórico.
- "Mas com carros, porque uma avenida não é 'pedonal" (sobre possíveis alterações às avenidas junto ao Tejo). Já agora , "pedonal" não é português.
publicado por MC às 09:50
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2006

CARtoons

cartoon

Tirado do excelente livro CARtoon de Andy Singer.
publicado por MC às 18:14
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 8 de Dezembro de 2006

Bilhetes na Holanda

Em 1980 a Holanda aproveitou uma tecnologia de ponta, o papel, para facilitar o uso dos transportes públicos no país.  Foi introduzido o Strippenkaart que pode ser usado em todos os transportes públicos de todas as cidades e vilas do país.
Todos mesmo! Autocarros urbanos ou de longo-curso, eléctricos, metros, comboios suburbanos ou de longo curso... até nos Inter-Cidades!
A ideia é muito simples. O cartão dobrável tem 15 ou 45 tiras. Conforme o número de zonas que os passageiros atravessam há que picar o número correspondente de tiras.

Tal como em muitas coisas, a melhoria da mobilidade não depende em grande parte de dinheiro. Imaginem-se no  centro de Lisboa e deslocarem-se a algum sítio longe do centro de Almada ou Cascais. Autocarro, metro, barco, comboio tudo com o mesmo bilhete... (eu não consigo!).
Novas tecnologias não têm por cá faltado: chips, bandas magnéticas, etc. O problema é simples e a sua resolução impagável: mesquinhez e falta de vontade política (governo, autoridades metropolitanas, câmaras e operadoras).

Resta acrescentar, em tom de brincadeira, que até a Holanda se vai converter e começar a usar um sistema de chip... mas nacional claro!
 

publicado por MC às 12:02
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 5 de Dezembro de 2006

Sai um comboio para o meu bairro

O Público de hoje noticia um estudo do IST que critica o SATU de Oeiras pela sua performance ambiental. A questão é que apesar de ser eléctrico e não poluir localmente, a electricidade obviamente tem de ser produzida.

Agora o que me espantou foi o número de utentes diários: 600. Seiscentos. Sabendo que aquilo funciona 16 horas por dia, dá uns 37 utentes por hora. Trinta e sete. Nunca pensei que o comboiozinho tivesse muita adesão, mas admito que 37 é menos do que as minhas expectativas.

Para quem não sabe o é, o SATU é um comboio futurista construido em Oeiras, que liga o centro de Paço de Arcos ao Oeiras Parque (Centro Comercial), numa distância de 1150m. Custou milhões (vinte e três), desfigurou muitas ruas (por ter viadutos bem junto dos prédios) e agora tem 600 passageiros.

Melhor exemplo não há da falta de planeamento e da vontade de fazer obra vistosa dos nossos autarcas. Infelizmente há muitos exemplos semelhantes. Cada concelho, cada freguesia quer ter o seu sistema(zinho) de transportes independente de tudo o resto. Neste momento está a ser construido o metro da margem sul do Tejo. Um habitante de Almada ou Monte da Caparica que queira ocasionalmente ir ao centro de Lisboa poderá facilmente
1. comprar bilhete para o metro do sul
2. apanhar o metro,
3. comprar bilhete para o comboio da fertagus
4. apanhar o comboio
5. comprar um bilhete do metro de Lisboa
6. apanhar o metro
7. eventualmente apanhar mais um autocarro que o metro cobre mal a cidade


Em Lisboa o metro e o comboio estiveram durante décadas de costas viradas. As linhas de metro não chegavam ao comboio e vice-versa. Mesmo hoje, em Entrecampos onde eles se cruzam há 40 anos não é possível passar directamente de um para o outro.

Justiça seja feita ao Metro do Porto, que liga o centro da cidade ao centro das cidades suburbanas.


publicado por MC às 10:54
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Sábado, 2 de Dezembro de 2006

"O Império dos Automóveis"

O Vital Moreira escreveu uma excelente crónica no Público desta terça-feira, que está disponível no seu blog (secundário) Aba da Causa.
Um cheirinho: "Tomemos o caso da desordem automobilística em quase todas as cidades, especialmente em Lisboa. Duvido que, com a possível excepção da Grécia, haja na UE cidades tão dominadas pelos automóveis como as nossas."
publicado por MC às 00:14
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Não podemos estar indifer...

É fisicamente impossível ...

Se o estacionamento não f...

O planeamento urbano cent...

Mais estradas não resolve...

E também não, um carro em...

Não, um carro estacionado...

Até na OMS há preocupaçõe...

Os supermercados que cobr...

Até as multas ao estacion...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(216)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(71)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(58)

espaço público(58)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(33)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006