Quarta-feira, 22 de Abril de 2009

Soluções tecnológicas? I

Não sou grande simpatizante de grandes esperanças em soluções milagrosas provenientes de uma inovação tecnológica, especialmente no caso da mobilidade.

Um carro eléctrico, por mais eficiente que seja, não deixa de ser uma caixa de uma tonelada que leva 1,3 pessoas lá dentro. Uma tonelada para transportar 100Kg já é à partida ineficiente. Uma tonelada que na cidade precisa constantemente de ser acelerada e travada, que tem um enorme atrito, que causa congestionamento e necessidade de semáforos obrigando as outras caixas de uma tonelada também a gastarem energia desnecessária. Ou seja, não vejo maneira de um carro - seja lá qual for o motor - ser energeticamente e ambientalmente vantajoso. (E já nem falo dos custos não-ambientais que são mais graves).

Como dizia James Howard Kunstler quem está preocupado em como vamos poder continuar a andar de carro, não está a perceber o problema energético. O problema que se nos põe é como é que nos vamos movimentar sem carro.

 


Petição a assinar contra a construção do IC6 na Beira Alta. É mais um enorme custo em alcatrão, sem qualquer necessidade, que vai destruir zonas ambientais, destruir campos agrícolas e separar populações.

publicado por MC às 23:59
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Jorge a 23 de Abril de 2009 às 23:10
Excelente tema, foi por essas razões e mais algumas que optei por um veiculo de 2 rodas, não tenho problemas de estacionamento e o veiculo tem pouco mais que o meu peso, ganho tempo em todos os aspectos, economia, a manutenção é quase inexistente e gasto pouco cêntimos por 100 kms.
Quanto está a chover chego sempre mais seco ao trabalho e a casa que os enlatados, isto porque utilizo roupa adequada, basta um fato impermeável que em trinta segundos se veste. Os meus colegas de trabalho ficam impressionados quando chego ao trabalho em dias de chuva, isto porque sou o único que estou completamente seco.

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006