Quinta-feira, 5 de Março de 2009

Há estacionamento e estacionamento

Num hospital público (Capuchos) do centro de Lisboa, ou seja um local público aonde se desloca muita gente idosa e combalida, e onde a circulação automóvel é permitida, temos este espectáculo:

 

 

Praticamente não há passeios, e quando os há estão ocupados. Isto para que algumas pessoas possam estacionar de borla.

 

No dia seguinte, noutro hospital público bem perto deste e pertencente ao mesmo centro hospitalar aconteceu isto. É caso para dizer four legs good, two legs bad.

obrigado


O mesmo vereador de Lisboa que anuncia (planos concretos) mais vias-rápidas, túneis, cruzamento desnivelados e nós rodoviários, é o mesmo que faz um discurso (plano teórico) de redução do transporte privado, apoiar bicicletas, peões e transporte público, corredores bus, bla bla. Eu detesto soar como os demagogos que ligam para os fóruns das rádios e TVs, mas maior discrepância entre discurso e acção não seria possível. A minha parte favorita é quando ele explica que os carros eléctricos não resolvem a questão porque ainda resta o problema do estacionamento... Congestionamento, sinistralidade, espaço público monopolizado, etc. não é nada que lhe preocupe.

publicado por MC às 00:45
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Gonçalo Pais a 5 de Março de 2009 às 14:12
O Hospital D. Estefânea é a mesma coisa...é no mínimo ridículo. Na altura que foi construído planearam jardins para permitir as crianças adoentadas passearem, apanharem ar fresco, fazia parte da terapia. Hoje em dia tropeçamos nos carros, as ambulâncias têm a vida dificultada para se movimentarem.....mas é considerado normal!! Eu devo ser extraterrestre....
De Iletrado a 7 de Março de 2009 às 22:33
Caro MC
Carros em cima do passeio e a bicicleta é que está estacionada em local indevido?! Franz Kafka no seu melhor. Faz-me lembrar um episódio em que um polícia me fez parar porque eu circulava em excesso de velocidade... de bicicleta.
Boas pedaladas.

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Não podemos estar indifer...

É fisicamente impossível ...

Se o estacionamento não f...

O planeamento urbano cent...

Mais estradas não resolve...

E também não, um carro em...

Não, um carro estacionado...

Até na OMS há preocupaçõe...

Os supermercados que cobr...

Até as multas ao estacion...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(216)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(71)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(58)

espaço público(58)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(33)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006