Terça-feira, 30 de Dezembro de 2008

Ocupação exclusiva do que é público

Revendo estas fotos de ocupação do espaço público de Lisboa,

e de Amesterdão,

 

apercebi-me de uma coisa. O problema de destinar o  pouco que existe de espaço público para o estacionamento de meia-dúzia de carros, não passa só por deixar de haver espaço para uma esplanada, um pequeno parque, um local para os miúdos brincarem e jogarem, umas cadeiras e mesas para os idosos conviverem, para os peões se poderem deslocar à vontade. O problema passa também pelo absurdo de ter alguém a ocupá-lo,  que nem sequer se encontrar lá! O espaço fica monopolizado por alguém que pode passar horas, dias ou semanas bem longe dali! Isto faz algum sentido na cidade, onde o espaço público é um bem escasso?

 


A ler:  o Squawfox diz que os automóveis devem ser vistos como o tabaco passou a ser visto e tratado nos últimos anos, por serem caros, viciantes, assassinos, etc.  (via)

(cache do google, no caso de a página original estar em baixo)

publicado por MC às 17:40
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Paulo Santos a 31 de Dezembro de 2008 às 01:06
Caros (as),

Como já devem saber, vou oficializar o final do projecto "100 dias de bicicleta em Lisboa", que na realidade está a chegar aos 200 dias.

Um ano depois de ter começado a pedalar pela cidade, um ano depois de se terem dissipado milhares de dúvidas, um ano depois de descobrir um novo modo de estar na vida e na cidade, um ano depois ... entreguei a tese de mestrado com as principais conclusões e sugestões sobre Lisboa e a sua relação possível com as bicicletas.

Vou por isso, no próximo dia 1 de Janeiro percorrer o mesmo caminho que fiz há 1 ano atrás: da Praça do Comércio ao Saldanha. Da Baixa da cidade ao Planalto Central. A partida será pelas 14:30h da Praça do Comércio.

O objectivo é continuar a promover a utilização da bicicleta como meio de transporte na nossa cidade, ao longo de 2009.

Convido aqui todos aqueles para quem a bicicleta é, ou poderá vir a ser, o modo de transporte privilegiado na cidade de Lisboa, a fazerem comigo este passeio e a mostrarem que o lóbi dos utilizadores de bicicleta em Lisboa é um movimento com força e em crescente popularidade, com vontade de levar para a frente iniciativas de promoção à melhoria da mobilidade e da qualidade de vida de quem vive, estuda e trabalha na capital.

Conto com todos.

Paulo Santos
De Vanda a 7 de Janeiro de 2009 às 03:00
Pois, realmente na PONTE aí na fotografia não há carros - mas se a foto fosse das ruas que estão aos lados dos canais, veria muitos carros aí estacionados.

Não use Amsterdão como exemplo - bicicletas também se estacionam muito mal e ao monte, há muito lixo por todo o lado, e muito carro estacionado também (e as ruas são quase impossiveis de atravessar, já que ha poucas passagens de peões e ninguém pára)

Eu gosto deste blog, mas há coisas ridiculas..
De MC a 7 de Janeiro de 2009 às 18:38
Vanda,
fui eu que tirei a foto, sei perfeitamente o que vi ali ao lado. E o número de carros que há ali ao lado não se compara, nem de perto nem de longe, com a quantidade estacionamento à superfície que há nas cidades portuguesas.
(Aliás, eu nunca disse que a foto de baixo representava Amesterdão!! Aliás seria impossível uma foto representar uma cidade inteira!)
Se quiseres, ponho as questões noutros termos: nunca, mas nunca se encontrará algo semelhante às fotos de cima em Amesterdão.

Não percebi a pertinência do 2º parágrafo.

E fiquei sem perceber o que era o "ridículo"...
De Mario a 7 de Janeiro de 2009 às 22:49
Vanda, se uma fotografia não a convence talvez valha a pena ver esta centena e procurar os capacetes, as ciclovias e os lugares de estacionamento (http://klepsydra.blogspot.com/2008_03_01_archive.html#6199715618706011946)
Mário

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Se o estacionamento não f...

O planeamento urbano cent...

Mais estradas não resolve...

E também não, um carro em...

Não, um carro estacionado...

Até na OMS há preocupaçõe...

Os supermercados que cobr...

Até as multas ao estacion...

Comércio local cresce

Ferrovia vs Rodovia em Po...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(214)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(71)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(58)

espaço público(58)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(33)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006