Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008

Biomapping em Lisboa! Voluntários são bem-vindos!

aqui tinha falado do projecto Biomapping, que mede o nível emocional dos peões (em termos de stress, receio, prazer, alegria, etc...) consoante a sua situação na cidade. Agora esse mesmo projecto vai passar por Lisboa pela mão de Carsten Hogertz, um estudante de geografia da Universidade de Trier, sendo que eeste vai ser o seu trabalho final de curso.

 

A experiência é simples, trata-se apenas de fazer um percurso a pé com um localizador GPS e uma smartband, um sensor que mede as variações eléctricas na pele. Vão haver 3 sessões nos dias 12, 13 e 14 (quinta-feira a sábado), por volta das 19h00 a partir do Crew Hassan (R. Portas de Sto Antão, Restauradores). Dado que há um número limite de pessoas a poder participar em cada dia, pede-se que avisem o Carsten pelo endereço emolisboa@gmail.com. Se houver necessidade, pode repetir-se a coisa nos dias 19, 20 e 21.

 


Boa e mais-do-que-esperada (à luz destes dados noutros países) notícia sobre os radares em Lisboa: Menos mortos e feridos graves devido a radares em Lisboa. Apesar de o período de experiência ainda ser curto, mas as diminuições são altamente significativas, os feridos graves passaram de 66 para 19. Claro que há mais e melhores coisas para fazer, mas parece-me que a crítica de os radares serem inúteis por só controlarem um bocadinho das vias, cai por terra. Também importante é a mensagem que faz passar, de ser o princípio do fim da impunidade.

publicado por MC às 23:32
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Iletrado a 11 de Dezembro de 2008 às 22:59
Caro MC
Não cantemos vitória antes de tempo. No primeiro ano da medida da "Tolerância Zero" os números apresentados também eram animadores e parecia difícil rebater tal política. Lembro-me dos autarcas do Allgarve, referindo-se expressamente à N125, dizer que tal medida era positiva e resolveria os problemas de circulação e sinistralidade dessa via. Seria o princípio do fim do problema. O IP3, a N1, a N10... Diz-me, onde pára aquela medida? É que ainda está em vigor, caso não o saibas.
É sempre melhor receber boas notícias que más notícias, mas, tendo em conta aquilo que já li por aí, receio bem que seja outra medida para morrer no tempo. É que já há quem considere esta a medida definitiva, a solução milagrosa, quando esta devia ser mais uma medida de combate ao problema.
E por acaso reparaste que há uma proposta para retirar um radar de uma avenida porque o volume de tráfego não o justifica? Não será esta afirmação uma confirmação de que afinal as avenidas de Lisboa são vias rápidas? Pelos vistos o problema da velocidade só se coloca quando há muitos automóveis ao barulho, ou seja, que se lixem os peões.
Além disso, revolta-me que alguém considere positivo haver nove mortos em 2006 e apenas sete em 2007. É de uma insensibilidade atroz. Será que os familiares das apenas sete vítimas mortais concordam com tal afirmação?
Boas pedaladas.

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Não podemos estar indifer...

É fisicamente impossível ...

Se o estacionamento não f...

O planeamento urbano cent...

Mais estradas não resolve...

E também não, um carro em...

Não, um carro estacionado...

Até na OMS há preocupaçõe...

Os supermercados que cobr...

Até as multas ao estacion...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(216)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(71)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(58)

espaço público(58)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(33)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006