Terça-feira, 28 de Outubro de 2008

40% dos atropelamentos são nas passadeiras

Notícia no DD

Quase 40 por cento dos peões são atropelados nas passadeiras [sic], um facto que a PSP atribui essencialmente a questões comportamentais e ao desrespeito pelas regras de trânsito. (em Lisboa).

 

Eu já nem falo dos outros 60% dos acidentes, muitos dos quais certamente não aconteceriam se as nossas cidades e leis fossem pensadas para as pessoas e não para os automóveis (como tanta vez por aqui mostramos). 40% é um valor enorme, e deita por terra a ideia de que a culpa é quase sempre dos peões que não respeitam as leis injustas. E nestes 40% quem se lixou foi o peão, não foi o culpado.

 


Post recomendado: a história da mobilidade em Groningen no Observatório da Baixa, a cidade holandesa sobre a qual o António escreveu recentemente.

publicado por MC às 22:38
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De G a 29 de Outubro de 2008 às 10:31
Ele ainda não foi condenado, calma lá com os cavalos.
De MC a 29 de Outubro de 2008 às 18:21
:)
suponho que fosse um comentário para o outro post do mesmo dia.
Nem a reportagem, nem os colegas puseram a autoria do crime em causa... ou seja o "alegado culpado" é mesmo culpado.
De Nuno a 30 de Outubro de 2008 às 09:15
1 em cada 4 condutores mantém o carro em andamento a 10\h sobre a passadeira para pressionar os peões a deixarem-no passar, mesmo com crianças pela mão...

Parece algo muito pequeno mas quando acontece 2-3 vezes ao dia é algo de extremamente incómodo- será que existem pessoas que nunca usam as pernas?
De Pedro Alves a 3 de Novembro de 2008 às 14:06
Olá,

Ele há coisas complicadas de mudar...
Em todo o caso, ao longo do tempo que ando de bicicleta não tenho verificado melhorias quer de mentalidade quer de comportamento de ambas as partes ciclistas e automobilistas.
Certamente um sinal de pouca convivência.

Boas pedaladas

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006