Quinta-feira, 18 de Setembro de 2008

Boas notícias

Chegando à semana europeia da mobilidade, temos sempre várias boas notícias para a mobilidade sustentável. Duas (por enquanto... ) chamaram-me à atenção:

 

A CP alargou o transporte de bicicletas a todos os horários e a todos (?) os comboios, inclusivé urbanos... e  é grátis! (apanhado na mailing list da Bicicletada)

 

Vão finalmente arrancar as zonas 30km/h de máximo em Lisboa. Por enquanto apenas em 4 bairros, mas é um começo. Estão ainda previstos o "estreitamento das vias de circulação, a arborização dos passeios e a criação de passadeiras sobreelevadas" de acordo com o Público. São medidas fundamentais, porque a sinalização vertical raramente tem algum efeito. Estreitar as vias e arborizar os passeios cria uma sensação de aperto e de insegurança aos automobilistas que os obriga a conduzir mais devagar e com mais precaução. As passadeiras elevadas também servem de lomba, facilitam o tráfego pedonal e lembra os automobilistas que as passadeiras são para os peões... são os automóveis é que passam lá por especial favor e não o contrário.

 


Post recomendado: Inversão de valores no brasileiro Incautos do Ontem, sobre o tema que o Tiago ainda recentemente referiu: a responsabilidade máxima nos conflitos do trânsito deve caber primeiro de tudo a quem conduz uma caixa de metal, que pesa uma tonelada e que ocupa um exagerado espaço urbano, e não a quem anda a pé ou de bicicleta. O post começa com: Dia desses uma amiga minha soltou a seguinte frase: “Depois que me tornei motorista, eu virei uma pedestre muito mais cuidadosa.”. Enquanto eu pensava em uma maneira educada de dizer que ela é que deveria ser uma motorista mais cuidadosa por ter sido pedestre ou algo do tipo, minha amiga completou: “Tento não ser como os pedestres normais. Eles atrapalham demais.”.

publicado por MC às 15:30
link do post | comentar | favorito
11 comentários:
De Domingueiro a 18 de Setembro de 2008 às 16:35
Acho que há aqui um certo radicalismo neste discurso apesar de concordar com quase tudo. Não são os carros que passam na passadeira por especial favor! A estrada atravessa a passadeira da mesma forma que a passadeira atravessa a estrada. Há é que haver respeito e bom senso quer da parte dos condutores quer dos peões quando os caminhos de ambos se cruzam. Da mesma forma que há condutores que não respeitam as passadeiras há pessoas que não respeitam a estrada e passam sem olhar, sem ter o mínimo de atenção e muitas vezes fora da passadeira com uma ali a 3 ou 4 metros. Já vi até casos de quem tenha atravessado uma passadeira a correr e provocou um acidente grave porque se meteu na passadeira de tal forma que o condutor (que ia dentro dos limites senão tinha sido uma tragédia) se despistou e ficou em estado grave porque o semáforo lhe caiu em cima. Portanto bom senso é a palavra de ordem e acho que radicalismos nunca levaram ninguém a lado nenhum.

Mas muito bom blog, eu próprio sou apologista de uma Lisboa sem carros e apenas uso o meu porque não tenho qualquer ligação de transportes entre a minha casa e o meu local de trabalho.

Parabéns e continuação de bom trabalho
De MC a 21 de Setembro de 2008 às 23:44
Bom, o tom foi um pouco para picar.
Mas eu não aceito que quem os peões/utilizadores de transportes públicos/ciclistas sejam postos em pé de igualdade com os automobilistas, pelas simples razão que os segundos causam muitos mais problemas (congestionamento, ocupação de espaço, ruído, sinistralidade, etc...) aos primeiros do que vice-versa.
As cidades portuguesas são pensadas tendo os 2os como prioridade, as cidades mais agradáveis no mundo são feitas a pensar nos 1os.

abraço!
De Domingueiro a 22 de Setembro de 2008 às 10:58
Isso para mim é um pouco egoísta. Que tal pensar nas prioridades de todos? Não podemos ser extremistas ao ponto de querermos tudo feito à nossa medida! Claro que muita coisa tem que mudar com alguma urgência mas temos que ser tolerantes uns com os outros. Eu, sendo condutor por obrigação, também sou peão, ciclista, motociclista, utilizador de transportes públicos, mas não é por isso que vou exigir que a cidade seja exclusiva de cada um destes meios de transporte. Mais uma vez creio que o bom senso é algo obrigatório neste tipo de assunto.
De MC a 22 de Setembro de 2008 às 16:55
Mas eu disse que não queria pensar em todos? ;)
Um exemplo do que eu quero dizer: http://menos1carro.blogs.sapo.pt/118751.html
De Rui Salvaterra a 18 de Setembro de 2008 às 17:07
Posso afirmar que na cidade de Almada se está a dar grandiosos passos nesse sentido, diariamente tenho contacto com essas passadeiras elevadas e não à dúvida que são bastante restritivas para o automóvel e tranquilizadoras para os peões.
Nas vias que interagem com o metro de superfície, uma grande parte dos passeios foi rebaixado ao nível das vias do trânsito, sendo o piso nestas zonas de maior circulação de transeuntes, não no clássico alcatrão mas em calçada.
Muitas das ruas passaram de duas vias para uma, aumentando assim as faixas de BUS, os automobilistas desesperam (também pelas obras), os ciclo-urbanistas e utilizadores do transporte público agradecem.

A mudança acontece.

De MC a 21 de Setembro de 2008 às 23:45
Sei que sim, mas há muito tempo que não vou lá.. devia ir! Basta um barquito.
De jorge a 18 de Setembro de 2008 às 17:16
E as bicicletas nos comboios está dependente da "boa disposição" do revisor. Acredito que ainda vão surgir muitas confusões devido a esta condicionante. Mas já é melhor que nada...

"para poder transportar a sua bicicleta deve dirigir-se ao Operador de Revisão a quem competirá sempre emitir o seu título de transporte e garantir, ou não, o transporte do respectivo velocípede uma vez que o mesmo está sujeito a limitações do espaço disponível e da tipologia do material circulante que é utilizado."
De Ulisses Adirt a 18 de Setembro de 2008 às 18:02
Fico feliz q meu texto tenha agradado. Apareçam sempre (eu aparecerei).
De Anónimo a 18 de Setembro de 2008 às 21:37
"E as bicicletas nos comboios está dependente da "boa disposição" do revisor. Acredito que ainda vão surgir muitas confusões devido a esta condicionante. Mas já é melhor que nada..." Somente nos regionais, os urbanos terão carruagens onde será permitido o transporte de bicicletas
De O Nuno que costuma comentar a 18 de Setembro de 2008 às 22:24
Excelentes notícias- devagar se vai ao longe ;).
De esteban a 21 de Setembro de 2008 às 14:00
Caro señor Roberto.
Muchas gracias por su indicación.
Yo visitey el sitio de enpreza WGLCAR quer tiene productos con alto padrón d equalidad y conprey los productos para limpeza y conservación de mi carro y moto.
Estoy muy contente con pradrón de qualidad.
Más una vez , muchas gracias por su indicación.

Un saludo

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Se o estacionamento não f...

O planeamento urbano cent...

Mais estradas não resolve...

E também não, um carro em...

Não, um carro estacionado...

Até na OMS há preocupaçõe...

Os supermercados que cobr...

Até as multas ao estacion...

Comércio local cresce

Ferrovia vs Rodovia em Po...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(214)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(71)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(58)

espaço público(58)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(33)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006