Quarta-feira, 20 de Agosto de 2008

Menos Carros = Menos Pessoas? VIII

Volto ao tema do disparatado argumento que afirma que a redução da mobilidade automóvel  na cidade acaba por afastar as pessoas, os moradores e o comércio. Um relatório do Transportation Alternatives (via) refere algumas consequências de condicionamentos ao trânsito:


Residential property values:
85% reduction in traffic translated to 5% increase after one year and • 30% after 13 years (Bagby)
[aumento em comparação com outros locais]
Streets with no through traffic command 9% price premium (Hughes)
Quiet streets command 8-10% premium over noisy streets (Nelson)
Community gardens boost nearby apartment prices 7% (Voicu and Been)


Retail sales:
Pedestrianization boosts sales 10-25% in first year (University of Oxford)


Pedestrian volumes:
Pedestrianization boosts pedestrian traffic 20-40% in first year (University of Oxford)


West Palm Beach, Florida, converted its one-way main street to two-way operation, narrowed the street at points and raised intersections. In five years, vacancy rates fell from 70% to 20%, while commercial rents increased from $6 to $30 per square foot.

 

A survey of retailers in eleven German cities that created pedestrian zones in the 1970s found that 83% of retailers inside the zones reported higher sales, while retailers outside the zone on balance saw essentially no change.

 

O primeiro ponto (aumento do preço dos imóveis) é importante porque mostra que os imóveis são agora mais apetecíveis do que dantes, logo há mais pessoas querer morar/trabalhar nestes locais.

 

Mais uma vez, menos carros significou mais pessoas. Por último uma passagem maior, dedidaca aos receios infundados dos comerciantes:


When pedestrianization or traffic calming schemes are proposed, retailers are frequently among the most vocal opponents. Traffic calming and pedestrianization might result in drivers shopping elsewhere, and retailers may believe that these customers are the largest fraction of their customers.
Even if there is an upsurge in pedestrian traffic, retailers may fear that pedestrians spend less than drivers. Evidence from London and other cities suggests that these fears are unfounded. As the research cited above suggests, where business is already thriving, traffic calming and pedestrianization have tended to boost sales.
Some customers undoubtedly take their business elsewhere, but those losses are more than offset by the increase in pedestrian traffic. Two surveys in Europe suggest that some of retailers’ fears are based on a poor understanding of their customers’ travel choices. A 1991 study in Graz, Austria, found that retailers thought that a majority of their customers arrived by car, and only 25% on foot. In fact, 32% arrived by car and 44% on foot. Sustrans (2004) found a similar discrepancy in Bristol, UK. This misperception may fuel anxiety about changes that increase pedestrian access at the expense of drivers.
Studies in London also suggest that pedestrians spend more than drivers. A survey of shoppers in central London shopping districts found that those who walked to the store spent about the same (₤41) as those who drove (₤43), but that over the course of a week, those who walked spent much more (₤104) than those who drove (₤73).62 These findings were confirmed in a study on London’s Kensington High Street, which found that walkers shopped more frequently than drivers and accounted for 35% of retail spending, compared with 10% for drivers.63 The ability of customers to take home heavy or bulky goods – another possible concern of retailers – is apparently a minor issue for central London shoppers, at least: only one percent chose their travel mode because they had to carry heavy bags.

Posts anteriores Menos Carros = Menos Pessoas?


Uma das medidas compensatórias para a Região Oeste, por ter perdido o novo aeroporto, será a requalificação total da linha do Oeste (Lisboa-Figueira da Foz). Bem precisava!

tags:
publicado por MC às 23:27
link do post | comentar | favorito
11 comentários:
De Nuno a 21 de Agosto de 2008 às 12:16
Exactamente!
Não conheço um único caso em que a pedonalização de uma rua ou ruas se tenha traduzido num decréscimo ( a Rua de Santa Catarina no Porto no horário comercial até transborda). O tradicional apego ao carro é que origina a ideia de que é um risco a inexistência de estacionamento á porta.

Contudo diria também que o sucesso de áreas pedonais é intrínseco á capacidade de escoamento eficaz do trânsito e pessoas (incluindo transportes públicos) numa área envolvente que lhe é adjacente.

Com um planeamento e selecção cuidada de áreas que poderiam ser convertidas para uso pedonal exclusivo seria possível que estes espaços se multiplicassem para além de alguns centros históricos ou ruas comerciais no país.
De MC a 21 de Agosto de 2008 às 16:27
Sim, a rua de Sta Catarina é também um excelente exemplo (por acaso já não me lembro se já é 100% pedonal.. há um ano ou dois lembro-me que ainda era possível circular lá de automóvel, com muitas restrições, mas possível. Só passava um carro de tanto em tanto tempo, mas aquilo irritou-me fortemente. Porquê a falta de coragem para fechar mesmo? Em Lisboa, há o absurdo caso da Rua Garrett, que apesar das muitas restrições, ainda tem um carro de vez em quando.. tendo até estacionamento! Parece que a pedonalização completa ainda é um sacrilégio.)

Outro exemplo que gosto é o Bairro Alto em Lisboa. Duvido que haja algum comerciante que se queixe passados estes anos da decisão.
De MC a 21 de Agosto de 2008 às 16:32
Outro exemplo para os Lisboetas, a Av Guerra Junqueiro, que poderia ser um bom exemplo de uma avenida pedonal fora do centro histórico, como o Nuno referiu.
Devido ao sentido do tráfico tem muito pouco trânsito... mas ainda tem. Talvez para servir de estacionamento... embora tenha parques de estacionamento nos seus dois extremos.
O que tem acontecido à avenida desde a diminuição do transito, é o mesmo de cima: mais esplanadas e segundo ouvi dizer, as lojas que as cadeias de franchising têm lá, são as mais lucrativas de toda a Grande Lisboa. Bem mais que os shoppings e afins.
De Waldomiro a 25 de Agosto de 2008 às 21:05
Aproveito a área de comentários para falar desta notícia que vi hoje:
Swiss to vote on SUV ban
http://asia.news.yahoo.com/080825/3/3o4fl.html
De Nuno a 25 de Agosto de 2008 às 23:14
Sendo justo posso dizer que o balanço final de uma conversão a pedonal de uma rua comercial que acompanhei traduziu-se de facto num maior numero de frequentadores e no seu crescimento comercial mas houveram imediatamente protestos por parte de comerciantes que dependem imediatamente da acessibilidade e\ou apoio logístico diário e que acabaram por transferir o seu espaço comercial.

Importa alertar que intervenções deste tipo nunca devem ser feitas á margem dos interesses de todos os envolvidos uma vez que algum tipo de comércio sai beneficiado (montras, esplanadas) e outro relativamente afectado (bens alimentares, escritórios\serviços).

Existe porém nas cidades lugar para uma convîvência equilibrada de acessibilidades de vários tipos. O desafio é evitar a criação de zonas monofuncionais e ao mesmo tempo acomodar todos os tipos de negócios nos seus "habitats" mais benéficos.
De Nuno a 28 de Agosto de 2008 às 15:57
Para algo que não é directamente relacionado, conheciam isto?

http://www.ghostbikes.org/
De Ressaca a 29 de Agosto de 2008 às 21:10
Pedindo antecipadas desculpas pela “invasão” e alguma usurpação de espaço, gostaríamos de deixar o convite para uma visita a este Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...
De andre a 31 de Agosto de 2008 às 22:02
por acaso conhece algum blog de alguem que viva no porto e use bicicleta?

é que eu estou a ponderar usar a bicicleta na ciadade e queria ver algumas opinioes

conhece também algum blog com conselhos sobre qual as melhores bicicletas para a cidades e outras coisas indispensaveis?

ca no porto acho que nunca vi alguem a andar de bicicleta para o trabalho - isso assusta-me um pouco

e ja agora como é quanod chove ou quando faz muito calor?
De MC a 21 de Setembro de 2008 às 23:39
Há aqui um blog na lista de links chamado "de bicicleta no porto" ;)

Para dicas, o Vou de Bicicleta e o Bicicleta na Cidade (ambos na lista) costumam ter dicas de vez em quando.
De andre a 23 de Setembro de 2008 às 22:37
ok muito obrigado!!

peço desculpa pelo incomodo
De Esteban a 7 de Setembro de 2008 às 17:32
Caro señor Roberto, muchas gracias por su indicación.
Yo visitey el sitio : www.wglcar.com.br y conprei productos hidrante para banco del couro y estoy muy satisfeito con qualidad.
más una vez , muchas gracias por su indicación.
Un saludo

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Não podemos estar indifer...

É fisicamente impossível ...

Se o estacionamento não f...

O planeamento urbano cent...

Mais estradas não resolve...

E também não, um carro em...

Não, um carro estacionado...

Até na OMS há preocupaçõe...

Os supermercados que cobr...

Até as multas ao estacion...

tags

lisboa(224)

ditadura do automóvel(216)

ambiente(208)

bicicleta(157)

cidades(114)

portugal(113)

peões(103)

sinistralidade(74)

estacionamento(71)

carro-dependência(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(58)

espaço público(58)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(39)

trânsito(33)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006