Quarta-feira, 25 de Junho de 2008

Vale sempre a pena lembrar: conduzir depressa custa... e muito!

Para quem precisa mesmo, mesmo, mesmo (mesmo?), mesmo de andar de automóvel é sempre bom lembrar que as velocidades altas pagam-se, e pagam-se bem.

 

A revista alemã Auto Bild fez uns testes medindo o consumo de combustível consoante a velocidade:

 

A velocidades entre os 100 e os 150 km/h, o consumo aumenta qualquer coisa como 0,8l/100km por cada 10km/ de velocidade, sendo que o aumento é bem maior nos motores a gasolina (a amarelo nos gráficos).

Por exemplo, numa viagem Lisboa-Porto para se ganhar 10 minutos, é preciso gastar  pelo menos mais 2,4l ou seja mais 3,5€. Vale a pena por 10 minutos? E digo "pelo menos" porque conduzir rápido numa estrada com trânsito implica mais travagens e acelerações, logo muito mais consumo.

 

Para quem não liga ao dinheiro vale a pena lembrar o aumento da sinistralidade com a velocidade, e que todas as emissões poluentes sobem com a velocidade a partir dos 80km/h.

 

Outras dicas da revista alemã:

Menos peso (menos 0,5l por cada 100kg)

Nada no tejadilho (bicicletas podem aumentar até 4,6l)

Pneus cheios (menos 0,2 bar significa mais 2% de consumo)

Bom lubrificante (mais 10€ na compra mas menos 5% no consumo)

Revisões frequentes

Não esperar enquanto o motor aquece

Acelerações a fundo (está bem traduzido!) em vez de acelerações lentas quando a baixas rotações e com motor a gasolina

Mudanças baixas (a 50km/h a quinta gasta menos 4,7l do que a segunda)

Deixar ir em vez de acelerar e travar na cidade

Poupar na electricidade (ar condicionado 0,7l, faróis de nevoeiro 0,3l, rádio 0,2l)

Desligar o motor quando parado (menos 1l na cidade)

Combustível normal em vez de super

 


Leitura recomendada: High Fuel Costs Could Spur a New Rationalism

publicado por MC às 16:12
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De PedroMSousa a 25 de Junho de 2008 às 22:09
A Plataforma de discussão e Intervenção Ambiental vai realizar um ciclo de actividades subordinadas ao tema "Transportes no meio urbano" durantes os próximos dias. Estão convidados a participar. Informações aqui: http://pdiambiente.blogspot.com/
De MC a 26 de Junho de 2008 às 15:44
Ai.. que vergonha. Eu já sabia, mas esqueci-me de fazer publicidade. Foi para o post de hoje.
Parabéns pela iniciativa!
De António Marques a 27 de Junho de 2008 às 13:50
É verdade. Pisar no acelerador é ruinoso para o ambiente e para a bolsa. Felizmente, o contrário é verdade! http://carrofamilia.blogspot.com/2008/06/39-de-gasleo-aos-100-km-hbridos-para-qu.html
De Ana F. a 28 de Junho de 2008 às 10:07
Eu felizmente, agora, só preciso de usar o carro duas ou três vezes por semana para viagens longas e, desde que a escalada dos combustíveis começou, também comecei a levantar o pé do acelerador.

Faço viagens, a rolar entre os 70/80 km/h e mesmo em auto estrada não passo dos 100km/h. A realidade é esta, dantes, com o depósito a meio já marcava 400 e poucos kms, esta semana ainda não estava bem a meio e já marcava 600... portanto, andar devagar compensa E MUITO!

O que me entristece, é que somos um povo muito limitado, porque cada vez vejo mais pessoas a acelerar feitos loucos, principalmente nas auto estradas. É óbvio que depois acho ridículo andarem a reclamar do preço dos combustíveis, porque quando é para acelerar a fundo, ninguem se lembra disso.

Parabéns pelo blog! E viva as bicicletas ;)
De Tárique a 30 de Junho de 2008 às 02:00
Uma coisa que reparei em relação à condução urbana dos condutores portugueses, relativamente à do resto da europa e que deve afectar muito o consumo: as acelerações e travagens bruscas.

Na sua condução, um condutor português, após estar parado (por causa de uma passadeira ou semáforo) acelera ao máximo até atingir os 50 ou 60 e trava bruscamente 100 metros à frente para parar noutro obstáculo. Faz assim uma condução com uma velocidade média baixa mas com muitos picos de velocidade.

Um alemão, holandês ou francês, na mesma situação, conduz de forma mais suave. Se está numa zona de obstáculos, ou seja, a típica condução urbana, geralmente não acelera para velocidades tão altas porque não lhe serve de nada.

Às vezes parece que o tuga quer sentir o prazer da aceleração.

Quantas vezes quem anda de bicicleta não sentiu já um condutor impaciente a fazer sinais de luzes para ultrapassar a 50 ou 60 para se deter poucos metros à frente num semáforo, onde nós, de bicicletas, voltamos a encontrar-nos ao seu lado? É uma conduçao mais perigosa, mais poluidora, causa mais ruído e gasta mais gasolina e travões. Mas aquele vruuuumm fá-los mesmo sentir como o schumaker , suponho.
De MC a 1 de Julho de 2008 às 01:16
Sim, sim.. é pena não ter números, mas a acelerar e travar a seguir é um desperdício autêntico..
Aliás, basta pensar na física.. a energia cinética varia com o QUADRADO da velocidade... levar o carro até aos 60 custa bem mais do que só 50... e muitas vezes para nada.

Quanto à corrida contra as bicicletas, deixa os estar... dá me um gozo bestial :)

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006