Quarta-feira, 4 de Junho de 2008

Notas soltas

Depois da triste figura de guerrinhas pelos lugares de estacionamento por parte dos juízes, temos mais uma bela notícia relacionada com a justiça: o novo Campus de Justiça em Lisboa vai ter 4000 lugares de estacionamento! Numa zona tão bem servida de transportes públicos como é o Parque das Nações (vários comboios, metro, autocarros, etc...), as autoridades esquecem os discursos bonitos do ambiente, da promoção dos transportes públicos e da diminuição dos automóveis na cidade e apostam num paradigma cada vez mais ultrapassado: lugares de estacionamento para tudo e todos. O presidente da Junta não fica atrás, achando que o problema da "mobilidade" se resolve com estacionamento. Com gente assim...

 

Para compensar ligeiramente temos a notícia de 4 concelhos (Barreiro, Lisboa, Loures e Odivelas), que incentivam o carpooling por parte dos seus funcionários através de uma página específica dentro do www.carpool.com.pt.

Fico obviamente contente mas só me vem dar razão no que escrevi acima: "incentivos" e "sensibilização" lá se vai apoiando, mas quando são decisões difíceis de tomar...

 

Manuel Tão, no Expresso, questiona a febre da transformação de antigas ferrovias  em "ciclopistas" sobre a capa do turismo verde. Destroí-se comboio e incentiva-se os passeios de bicicleta no tejadilho do carro.

 

Fernanda Câncio tem um interessante post sobre os impostos sobre os combustíveis: adira ao movimento dos sem-petróleo, pergunte-me como.

 

 

publicado por MC às 22:45
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Tárique a 5 de Junho de 2008 às 11:01
De notar que no parque das nações há milhares de lugares de estacionamento subterrâneo constantemente vazios, no piso -2 do estacionamento da gare do oriente, a 2 ou 3 minutos a pé do campus justiça.

Não obstante o estacionamento à superfície é impune e caótico. Disseram-me que em grande parte isso se deve à confusão sobre quem tem jurisdição aqui: GNR por ser "fora" da cidade, PSP de Lisboa, olivias, PSP de Loures, moscavide, polícia municipal, emel ? ninguém parece saber e não há paragem da carris na avenida dom joão II que não esteja ocupada por pópós.

De anabela a 5 de Junho de 2008 às 22:08
Sou moradora no Parque das Nações, e gosto de cá morar,mas o estacionamento caótico complica-me com os nervos. Há constantemente carros estacionados nas passadeiras, encima dos passeios, nas faixas de rodagem,em todo o lado se estaciona impunemente onde cada um quer. Há um carro vermelho abandonado na Rua do Zambeze, na faixa de rodagem, há pelo menos seis meses, nas artérias principais há quem circule a velocidade de autoestrada,inclusivé na Alameda dos Oceanos que tem duas escolas, e ninguém parece importar-se. Indifinição na jurisdição policial, de facto parece-me ser uma desculpa incrivel, tendo em conta que aqui até há uma esquadra, mas se calhar é verdade, mas na cobrança dos impostos não há indifinições. O problema daqui é que não é um problema daqui, é, infelizmente um problema de todo lado, e aqui só se repete, com a conivência de todos eo descaso das autoridades.
Aqui há dias uma amiga estacionou num lugar emel junto ao Ritz, não tinha moedas para pôr no parquímetro e foi a um café para trocar quando voltou para pôr as moedas (tinham passado 10 m) já tinha uma multa, muito chateada argumentou com o funcionário da emel que lhe disse que já não podia fazer nada porque os dados dela já tinham sido enviados (que eficiência), a lição que a minha amiga retirou daqui é que se tivesse ido ao tal café trocar moedas de carro e o tivesse deixado em cima do passeio ou estacionado em segunda fila com os 4 piscas ligados não teria sido multada.
É isto que eu não consigo compreender, como é que uma emel consegue ser eficiente e apolicia não consegue ou não quer? quem me explica?
De Tárique a 6 de Junho de 2008 às 17:22
por acaso tenho aqui um video com um polícia de transito a beber um café e a comer um bolo num café junto a um passeio com uma linha de carros estacionados em 2ª fila. Junto ao edifício da sonae-com

Comentar post

subscrever feeds

Google (lousy) Translation

autores

pesquisar

posts recentes

Nova rede ciclável de Lis...

Caça à multa ou ao dispar...

O estacionamento como fun...

Tuk-tuks e as bicicletas,...

Os peões e as bicicletas ...

O excesso de velocidade d...

A mobilidade sustentável ...

O lado "verde" do apoio a...

10 Dicas para a bicicleta...

A EMEL vai investir 40 mi...

tags

lisboa(222)

ditadura do automóvel(211)

ambiente(204)

bicicleta(157)

cidades(113)

portugal(112)

peões(102)

sinistralidade(74)

carro-dependência(67)

estacionamento(67)

transportes públicos(66)

bicicultura(62)

economia(57)

espaço público(57)

comboio(48)

auto-estradas(42)

automóvel(38)

trânsito(31)

energia(30)

portagens(27)

todas as tags

links

arquivos

Setembro 2016

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006